O número de pobres na América Latina caiu em 13 milhões de pessoas entre 2002 e 2005, anunciou o secretário-geral da Cepal (Conferência Econômica para a América Latina, órgão da ONU), o argentino José Luís Machinea, na apresentação do relatório “Espaços Ibero-Americanos”.

O documento foi elaborado para a 16ª Cúpula Ibero-Americana pela Cepal e pela Secretaria-Geral Ibero-Americana.

Machinea, que esteve acompanhado na apresentação do relatório pelo uruguaio Enrique Iglesias, secretário-geral ibero-americano, que destacou também que a queda mais visível aconteceu no número de indigentes, de 9 milhões.

‘A dívida social na América Latina continua sendo grande’, declarou à Efe Iglesias, acreditando que há condições para ‘revigorar a economia’ e parte da riqueza chegar aos setores mais pobres.

O relatório contém sete grandes capítulos genéricos que vão desde o panorama da economia ibero-americana às assimetrias sociais e econômicas na região, passando pela situação do investimento ou os recursos naturais e a energia.

Algumas das estatísticas curiosas que citou Machinea: a região ibero-americana, que ocupa 15,2% da superfície mundial, concentra 33% das reservas mundiais de água doce, 93% das florestas tropicais ou 40% do cobre.

Democraticamente falando, abriga 9,2% da população mundial, mais que os Estados Unidos e a União Européia juntos.

Fonte: Folha Online