Adauto Parreira de Matos foi absolvido da acusação de ter matado Anadir Luzia de Oliveira Lopes esfaqueada no interior da Igreja Universal do Reino de Deus, situada na Avenida Júlio de Castilho, em Campo Grande, no dia 20 de janeiro de 1995. O julgamento foi realizado nesta quinta-feira.

Segundo a acusação, o crime aconteceu depois que Adauto recebeu uma notificação da justiça de cobrança do aluguel da casa em que morava. Revoltado, ele foi até a igreja onde a proprietária do imóvel, Deolinda Lopes, participava do culto. Houve um tumulto e ele acabou, segundo a peça acusatória, ferindo a Anadir e Amaury. Ela morreu e o homem teve ferimentos leves.

No julgamento, a defesa conseguiu convencer os jurados a absolver Adauto. Ele aguardava o julgamento preso e teve o alvará de soltura expedido ontem.

Submetido a julgamento pelo Conselho de Sentença os jurados responderam não ao quesito relativo à autoria do crime cometido contra a vítima, por seis votos a um. Assim, foi julgada improcedente a denúncia e foi expedido alvará de soltura.