Acordo pré-eleitoral firmado entre o prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad (PMDB) e a IURD (Igreja Universal do Reino de Deus) pode fazer com que o hoje vereador Pastor Sérgio (PMDB), que não disputou a reeleição, seja elevado no ano que vem à condição de secretário municipal, em Campo Grande (MS).

Até meados de agosto, o partido da Universal, o PRB, tinha uma pré-candidata à prefeitura de Campo Grande, a ex-primeira-dama do Estado, Maria Aparecida Pedrossian. Porém, o partido decidiu apoiar Nelsinho Trad. Maria Pedrossian disse ter tomado conhecimento do acordo pela imprensa. Para compensá-la o partido chegou a oferecer espaço para ela disputar uma vaga na Câmara. “Vereadora é a vovózinha”, foi a resposta da ex-primeira-dama.

Ontem, após a votação do projeto de lei do Orçamento, do qual foi relator, Pastor Sérgio confirmou a existência de acordo entre o prefeito e a Igreja. “Pelo entendimento, eu vou ocupar uma secretaria”, disse o vereador, que não sabe em qual pasta será acomodado, mas dá uma pista. Afirma que sempre atuou na área social e que “deverá ser aproveitado” em uma pasta que combine com o seu perfil.

O vereador não disputou a reeleição porque não queria atrapalhar as candidaturas do PRB, partido que a Universal quer fazer crescer. A legenda acabou lançando um outro pastor, Raimundo Menezes. Ele obteve 5.390 votos que ficou apenas na segunda suplência da coligação Campo Grande Cada Vez Melhor composta por PMDB, PRB, PR e PDT.

Sem querer, prefeito se entrega

Hoje, durante evento no Sebrae ao ser indagado sobre um suposto acordo com a Igreja Universal, o prefeito respondeu: “não falo sobre reforma administrativa agora”. O detalhe é que não foi dito ao prefeito que o questionamento era sobre secretarias.

O prefeito quer evitar especulações e só deve anunciar sua nova equipe entre o Natal e o Ano Novo. Por enquanto tudo o que se sabe sobre o próximo secretariado de Nelsinho é que ele vai reduzir de 11 para nove o número de pastas do primeiro escalão.

Outra possibilidade divulgada pelo vice-prefeito eleito e atual presidente da Câmara, Edil Albuquerque (PMDB) é a fusão de órgãos como secretarias, criando o que ele mesmo chamou de superpastas.

Conforme Edil a Agência de Desenvolvimento deve se unir a Satur (Secretaria Municipal de Fomento ao Agrone-gócio, Indústria, Comércio, Turismo, Ciência e Tecnologia). Edil é nome cotado para a função.

Universal na Assembléia

Na Assembléia Legislativa, a Igreja Universal está por hora sem representante. Mas, os pastores avaliam que esta condição vai durar pouco. Seu último deputado foi o pastor Barbosa (PMDB) que foi desligado da IURD. Sem o apoio dos fiéis, o ex-deputado não conseguiu se reeleger conquistando apenas 2.448 votos.

A Igreja então apostou no Pastor Oliveira Assunção que teve votação expressiva , foram 14.354 votos, mas não conseguiu a vaga. Ficou na terceira suplência da coligação Amor, Trabalho e Fé III que reuniu PMDB, PFL e PSDB. Ele é a aposta da Igreja para retornar ao Parlamento Estadual.

Os pastores esperam que seja antecipada a aposentadoria de um dos conselheiros do TCE para os primeiros meses de 2009. Com isso, a deputada estadual Celina Jallad (PMDB) que ficou na primeira suplência da mesma coligação, mas foi alçada à Assembléia devido ao remanejamento de Carlos Marun para a Secretaria de Habitação vai ser acomodada no órgão antes do previsto.

Como o segundo suplente da coligação, Diogo Tita já está na Assembléia na vaga de Ari Artuzi que se elegeu prefeito de Dourados, o próximo a ser convocado pela Mesa Diretora é o Pastor Oliveira, garantindo assim a vaga da Universal na Casa de Leis estadual.

Fonte: Midiamax – MS