O julgamento de Hasanuddin, o primeiro dos três homens acusados da decapitação de três estudantes cristãs em Poso, Sulawesi Central, na Indonésia, começou ontem.

De acordo com o promotor Payaman SH, Hasanuddin deu ordens a seus homens para cortar “a cabeça de pelo menos cem ‘kongkoli’ (apelido dado aos cristãos) jovens, adultos e mulheres”. A ordem era: “Isso é vingança. Sangue será pago com sangue, vida com vida e cabeça com cabeça”. Se forem condenados, os três enfrentarão a pena de morte.

As três vítimas foram atacadas com facões e decapitadas na região de Gebang Rejo, em outubro de 2005. O presidente Susilo Bambang Yudhoyono repudiou esse crime, que chocou a opinião pública.

Acredita-se que Hasanuddin tenha sido o mentor do triplo assassinato. Ele apareceu diante dos juízes na corte de Jacarta, onde o julgamento está acontecendo por razões de segurança.

Os assassinatos ameaçaram reiniciar os conflitos entre cristãos e muçulmanos de Sulawesi, que entre 1999 e 2001 viveu um período de violência sectária. Apesar do acordo de paz estabelecido em 2002, a violência é uma ameaça constante para a região desde então.

Hasanuddin, que foi acusado de premeditar o assassinato junto com Lilik Purnomo e Irwanto Irano, não fez nenhuma declaração no começo da audiência.

Na entrada do tribunal, o advogado dos acusados disse que os três homens admitiram o envolvimento nos assassinatos, os quais foram perpetrados como um ato de revanche contra os cristãos pela morte de muçulmanos.

Fonte: Portas Abertas