O assassinato do bispo da Igreja Anglicana, Robinson Cavalcanti (foto) e da esposa dele em Olinda, cuja tragédia chocou o País em fevereiro de 2012, finalmente terá um desfecho.

O júri popular de Eduardo Olímpio Cotias Cavalcanti, de 34 anos, filho adotivo do casal assassinado, está marcado para o próximo dia 5 de outubro, no Fórum de Olinda (PE). Sete jurados vão decidir o futuro do acusado, que é filho das vítimas e está preso desde o crime.

De acordo com a denúncia, Eduardo assassinou a facadas o bispo anglicano Edward Robinson de Barros Cavalcanti, 68, e a professora aposentada Miriam Nunes Machado Cotias Cavalcanti, 64, na casa do casal, no bairro de Jardim Fragoso, em Olinda. Após o crime, o acusado ainda teria tentado se matar. Ele passou quase uma semana internado no Hospital da Restauração. Um laudo da unidade comprovou que ele teria consumido cocaína excessivamente.

O júri popular demorou cinco anos para ser marcado porque um laudo do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico (HCTP), solicitado pela Justiça, apontou que Eduardo Olímpio era portador de um transtorno de personalidade e se encontrava em um quadro de depressão.

O Ministério Público questionou o resultado e, ao longo desses últimos anos, mais dois laudos – com diferentes profissionais – foram confeccionados e apresentaram divergências. Essa pode, inclusive, ser uma arma da defesa para que o acusado não seja condenado no júri popular. A assessoria do Tribunal de Justiça informou que os resultados dos laudos estão sob sigilo.

O CRIME

O duplo homicídio aconteceu dias após o acusado voltar dos Estados Unidos, onde viveu por 13 anos na casa de tios. Horas antes do crime, ele foi visto por vizinhos amolando uma faca. À noite, acompanhou os pais até a igreja. Ao chegar em casa, trancou todas as portas e iniciou uma discussão que resultou nas mortes.

Investigações da Polícia Civil, na época, apontaram que uma das motivações do crime seria a revolta de Eduardo por ter sido enviado para morar nos Estados Unidos. Ele pretendia voltar ao País ilegalmente, entrando pelo México. No processo, há informações de que Eduardo praticava crimes nos EUA, inclusive seria integrante de uma facção criminosa.

O BISPO

Edward Cavalcanti era bispo diocesano da Igreja Episcopal Anglicana, ex-deputado pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Foi professor de Ciência Política, na Faculdade de Filosofia do Recife (Fafire), Universidade Católica de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco e Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Fonte: Ronda JC – Jornal do Commércio