Em um julgamento que demorou cerca de nove horas nesta terça-feira, começando às 13h, Wilson Rodrigues da Silva, 29, foi condenado a 14 anos de prisão por crime qualificado.

Ele matou a tiros na noite de 31 de março do ano passado o pastor Sinforiano Ramirez, 42, padrasto da sua ex-companheira. Durante o depoimento inicial ao juiz Celso Antônio Schuch dos Santos que presidiu a sessão do Tribunal do Júri em Dourados, Wilson havia alegado legítima defesa.

O crime aconteceu no interior da casa de Andréia Cristina dos Santos Araújo, 24, na Vila Erondina, mesmo bairro onde o pastor atuava na Igreja Pentecostal Jesus Cristo Ressurreição. Andréia tinha sido companheira de Wilson por dois anos e oito meses, mas estava separado há pelo menos 30 dias quando o crime aconteceu.

Conforme relato de Wilson ao juiz, ele tinha ido a casa apenas para pegar um perfume e no local encontrou Andréia e Sinforiano. Houve discussão, ela teria dito que ele não poderia entrar na casa, o padrasto estaria armado com uma chave de fenda e no momento em que teria tentado agredi-lo, Wilson, armado, deu um tiro para cima para assustá-lo.

Mesmo assim a vítima avançou, quando então Wilson desferiu três tiros, acertando um no peito, outro na costa e cabeça.

A promotora que atuou na acusação foi Cláudia Loureiro e o advogado de defesa foi Eder Luís.

Consumado o crime Wilson Rodrigues fugiu em seu Fiat/Tempra, azul, e após deixá-lo em uma das ruas do condomínio Campo Dourado, tomou rumo ignorado.

Fonte: Agora MS