O delegado Dirceu Gravina, titular do 4º Distrito Policial de Presidente Prudente, SP, afirmou, nesta terça-feira, que Vandeir Máximo da Silva (foto), 27 anos, acusado de prática de satanismo e vampirisimo por supostamente ter mordido o pescoço de 16 jovens e bebido o sangue deles, pode responder por crime de lesão corporal.

Exames feitos pelo Instituto Médico Legal (IML) nos adolescentes apontam que as cicatrizes definidas coincidem com os dentes caninos salientes de Vandeir.

Outros exames feitos na arcada dentária do acusado de vampirismo confirmaram que ele possui os dentes afunilados e que foram lixados para tomarem a forma pontiaguda.

O laudo dos exames realizados pelo médico Luiz Felici Neto no Laboratório de Análises Clínicas Marlene Spir afirma que o ajudante não é portador do vírus que transmite a aids.

O delegado explicou o motivo de ter solicitado o exame: “solicitei para apurar a possibilidade de crime sexual. Ainda bem que o resultado deu negativo. Se tivesse dado positivo, os menores poderiam ser contaminados pelas mordidas no pescoço e pelo sangue que beberam de mãos e pulsos cortados”, explica.

Caso o resultado fosse positivo, Vandeir poderia ser indiciado por crime de tentativa de homicídio.

A polícia prossegue ouvindo outros jovens que confirmam que foram mordidos por Wlad e que ele realmente chupou o sangue.

“São declarações muito detalhadas e que conferem umas com as outras. Os jovens que já foram ouvidos confirmam com convicção que Vandeir os mordia e bebia seu sangue para iniciá-los em uma seita que prometia poderes sobrenaturais, entre eles a imortalidade”, disse o delegado.

Fonte: Terra