Dzhokhar Tsarnaev, 19, acusado pelo atentado à Maratona de Boston, disse aos investigadores que ele e seu irmão agiram por conta própria.

Dzhokhar Tsarnaev, 19, acusado pelo atentado à Maratona de Boston, disse aos investigadores que ele e o irmão, Tamerlan Tsarnaev, 26 –morto em um confronto com a polícia– agiram por conta própria, isto é, sem qualquer ligação com grupos terroristas, motivados pelo fervor religioso.

De acordo com o jornal “The Washington Post”, Dzokhar também contou à polícia que o atentado foi a forma encontrada por ele e o irmão para protestar contra as guerras dos Estados Unidos no Iraque –país do qual os EUA retiraram suas últimas tropas em dezembro de 2011– e no Afeganistão –onde os soldados americanos permanecerão até o final de 2014, conforme o plano do presidente Barack Obama.

Os atentados deixaram três mortos e 264 feridos no último dia 15. Dzhokhar foi capturado na sexta-feira (19) e permanece internado com ferimentos graves em um hospital, onde se comunica por escrito e por meio de gestos –ferimentos na boca o impedem de falar.

Desde o início das investigações, pessoas que conheciam os irmãos Tsarnaev disseram que Tamerlan, o mais velho, tinha adotado havia alguns anos uma posição islâmica extremista. Com base nos interrogatórios de Dzhokhar, as autoridades dizem acreditar que os irmãos de fato não receberam orientação externa e que passaram por um processo de autorradicalização por meio de sites na internet.

O jovem tem dito aos investigadores que seu irmão Tamerlan planejou o atentado, mas os dois foram responsáveis pela execução.

[b]Fonte: UOL[/b]