Com provas em mãos, os advogados de defesa da Igreja do Evangelho Quadrangular de Concórdia, Santa Catarina, pediram representação criminal na terça-feira contra o pastor Jairo Gavin do Centro de Restauração Renascer.

O advogado Dário Bueno, diz que houve um desvio de finalidade de recursos que foram aplicados na construção do Centro Renascer.

“O processo está na fase de inquérito, depois será encaminhado para o Fórum de Concórdia e a gente tem certeza absoluta que ele será condenado por apropriação indébita qualificada, o crime pode chegar até três anos de prisão”, afirma o advogado da Igreja Quadrangular, Dário Bueno. A igreja do Evangelho Quadrangular também entrou com uma ação que contesta o destino da doação dos quatro terrenos que sediam o Centro de Restauração Renascer.

Através de nota, o Centro de Restauração Renascer, apresentou alguns esclarecimentos. Sobre acusações de desvio de bens da Igreja Quadrangular, como por exemplo de cinco ovelhas, três vacas, uma guitarra, um teclado, dois microfones, uma TV 29 polegadas, uma bateria e um ar condicionado.

“Tais acusações fazem parte de um incansável esforço da Igreja Quadrangular, para macular o bom nome do presidente desta instituição, na tentativa de formar uma opinião desfavorável com relação à pessoa do mesmo junto a comunidade, as acusações constitui-se uma infâmia inquestionavelmente incompatível até mesmo com a própria missão cristão pregada por todas as igrejas evangélicas, inclusive a Igreja Quadrangular”, informa a nota.

O Centro de Restauração Renascer também lembra a Igreja Quadrangular: “Quando o Pastor Jairo Gavin exerceu lá por trinta anos seu nobre ministério, ajudou a construir várias igrejas, foi Superintendente da região, coordenador de 74 igrejas no vale do Itajaí, secretário Estadual de Missão, etc, e quando se desligou daquela instituição prestou regiamente contas de sua gestão”.

Fonte: Rádio Rural