O ex-presidente Arnoldo Aleman, que cumpre sentença de 20 anos por lavagem de dinheiro e malversação de recursos públicos, declarou ao semanário “El Heraldo” que desde o ano passado visita uma igreja evangélica e que é cristão.

O semanário cristão, dirigido pelo líder evangélico Leonel Ubeda, destacou na capa da edição da quinta-feira passada, 26, a conversão do ex-presidente, que é alvo de duras criticas de corrupção pelo embaixador dos Estados Unidos na Nicarágua.

Ubeda entrevistou Aleman há 20 dias na chácara dele – a 28 km ao sul da capital – e disse não acreditar na conversão do ex-presidente. Afirmou, contudo, que “Deus esta trabalhando em sua vida”. “Ele me confessou que há um ano visita a igreja Fraternidade de Manágua, comunidade a cargo do pastor Silvio Jarquin”, informou o comunicador.

O periódico assinala que o Aleman já conseguiu tudo o que muitos homens desejam: ser presidente, e agora o mais importante, que é ser cristão. Ubeda relatou, inclusive, que o ex-presidente desafiou seus amigos pessoais a buscarem Jesus. “Tendo provado tudo, hoje está convicto de que o melhor é ser cristão”.

O ex-mandatário contou que apresentou suas duas filhas na igreja, mesmo que sua esposa continue sendo católica. O relato jornalístico enfatiza que desde o ano passado Aleman recebe visitas de muitos evangélicos, entre eles um ex-dirigente da Aliança Evangélica Nicaragüense.

O diretor de “El Heraldo” declarou que não pode afirmar que Aleman aceitará o batismo, “mas sei que terá que demonstrar com seu depoimento que aceitou o Senhor como seu único Salvador, e estudar a doutrina da igreja evangélica”.

Aleman também é acusado de corrupção no Panamá e nos Estados Unidos por lavagem de dinheiro. Além deles, estão implicados sua esposa, Maria Fernanda Flores de Aleman, seus filhos maiores, e alguns colaboradores mais próximos do seu governo.

O ex-presidente foi julgado na Nicarágua por lavagem de dinheiro e sentenciado a 20 anos de prisão. Atualmente, cumpre prisão domiciliar, outorgada por juíza que permitiu a livre circulação dele por Manágua.

Fonte: ALC