A Alemanha proibiu os produtores de um filme sobre um complô para matar Adolf Hitler de rodar em locais militares alemães. O Ministério da Defesa disse nesta segunda-feira (25) que a razão da proibição é que o astro do filme, Tom Cruise, é adepto da cientologia.

Cruise é membro da Igreja da Cientologia, a qual o governo alemão não reconhece como sendo uma igreja. Berlim diz que ela se faz passar por religião para ganhar dinheiro, mas líderes cientologistas rejeitam a acusação.

O ator americano faz o papel do coronel Claus von Stauffenberg, líder de uma tentativa fracassada de assassinar o ditador nazista em julho de 1944, com uma bomba escondida numa pasta.

Um porta-voz do Ministério da Defesa, Harad Kammerbauer, disse que os criadores do filme “não serão autorizados a filmar em locais militares alemães se o papel do coronel Stauffenberg for representado por Tom Cruise, que se declara publicamente membro da seita da cientologia”.

“O Bundeswehr (as Forças Armadas alemãs) tem um interesse especial em que seja feito um retrato sério e autêntico dos fatos ocorridos em 20 de julho de 1944 e da pessoa de Stauffenberg”, disse Kammerbauer.

Não foi possível obter declarações dos empresários de Cruise.

Stauffenberg se opunha profundamente ao tratamento dado pelos nazistas aos judeus, e, em 20 de julho de 1944, plantou uma bomba numa pasta debaixo de uma mesa perto de Hitler. A bomba explodiu, mas apenas feriu o ditador.

Com lançamento previsto para 2008, o filme, que será dirigido por Bryan Singer e co-estrelado por Kenneth Branagh, é intitulado “Valkyrie” devido ao nome da conspiração, Operação Valkyrie.

Fonte: Terra