Desde antes de seu lançamento, o livro “Love Wins” de Rob Bell tem causado polêmica no meio cristão.

[img align=left width=300]http://noticias.gospelprime.com.br/files/2011/03/Rob-Bell.jpg[/img]A mais antiga Aliança de Cristãos Evangélicos no mundo opinou sobre a polêmica sobre Rob Bell e seu novo livro a respeito do céu e o inferno.

Convocando para um debate caracterizado pelo respeito, humildade e cortesia, Aliança Evangélica no Reino Unido reconheceu a “brilhante comunicação,” destreza e paixão de Bell em tornar o amor de Deus conhecido.

Mas o que Bell apresenta em Love Wins: A Book About Heaven, Hell, and the Fate of Every Person Who Ever Lived” (O Amor Vence: Um livro Sobre Céu, Inferno, e o Destino de Cada Pessoa que já Viveu) é confuso e obscuro, disse a aliança.

“Eu posso ver agora porque as pessoas estão se perguntando se Rob Bell é um universalista (todos serão salvos no final) ou não, porque não está claro,” Derek Tidball, membro da Diretoria e do Conselho da Aliança, disse em sua resenha na terça-feira. “A brillante comunicação, por vezes fica pelo caminho.”

“O livro contém uma saraivada de perguntas rápidas, mas não é tão bom em dar respostas, pelo menos não às claras.”

Em Love Wins, que é o número 2 da lista de mais vendidos da The New York Times e provocou um amplo debate antes mesmo do seu lançamento este mês, Bell levanta inúmeras questões sobre Jesus, salvação e vida eterna que muitas pessoas provavelmente têm.

“Se há somente uns poucos selecionados para ir para o céu… como é que uma pessoa se torna um dos poucos?” Bell, pastor da Igreja Mars Hill Bible Church em Grand Rapids, Michigan, perguntou.

“O que te salva é o que você diz ou o que você é?… ou quem nós perdoamos, ou se fazemos a vontade de Deus, ou se ‘continuamos firmes’ ou não?”

Conforme observou a Aliança Evangélica, Bell não declara “dogmaticamente,” que todos serão salvos no final.

Mas ele deixa a questão em aberto: Todos serão salvos, ou alguns vão perecer longe de Deus por causa de suas escolhas? … “Não precisamos resolvê-los ou respondê-las, porque não podemos, e assim simplesmente as respeitamos.”

O autor popular também coloca em dúvida a compreensão cristã tradicional do inferno e do destino dos não cristãos, apontou a aliança.

E “Bell parece adotar uma visão mais parecida com a “teologia da esperança” que está otimista de que Deus acabará salvando a grande maioria das pessoas, até mesmo, talvez, todas as pessoas.”

No livro, Bell chama a dominante história cristã de que apenas poucos Cristãos serão chamados para o céu, enquanto o resto passa para sempre em castigo no inferno “mal orientado e tóxico.” Ele critica as Igrejas que pregam singularmente que aqueles que não acreditam em Jesus vão para o inferno e questiona a crença de que a salvação vem apenas através da confissão, arrependimento e aceitação a Jesus.

Historicamente falando, a Aliança Evangélica observou que este tipo de debate teológico não é novo. O que está trazendo isso de volta aos holofotes, porém, é o perfil pessoal de Bell – como orador popular e já autor de livros best-seller de como Velvet Elvis e Deus e Sexo
Love Wins contém a verdade, reconheceu Tidball.

“é verdade que” o amor indestrutível de Deus é um desdobramento da realidade, dinâmica e que estamos todos “infinitamente sendo convidados a confiar, aceitar, acreditar, adotar e experimentá-la,’” Tidball afirmou, citando o livro de Bell.

“Muito do que ele diz sobre a cruz é direto da Bíblia. Sua crítica de alguns evangélicos por seus julgamentos superficiais e equivocados é verdade. Ele está certo: o ensino bíblico sobre o céu e ‘a idade para vir’ é deturpada, se tudo que isso faz é incentivar alguns a se vangloriar: ‘Eu tenho uma passagem para o céu.’ A Bíblia apresenta a obra de Cristo, bem mais ampla do que a salvação de uns poucos indivíduos.
Trata-se da restauração e renovação de uma criação caída. A vida eterna não começa “quando morremos, mas é sobre uma qualidade de vida vivida agora.” Amém a isso.

Mas, Tidball acrescentou, o livro apresenta apenas metade da verdade.
E isso é “perturbador para aqueles que acreditam na outra metade da verdade,” disse ele.

“Seu ensinamento sobre o inferno maqueia algumas questões difíceis enquanto lança um monte de perguntas de sua autoria. A ira de Deus e Sua santidade, é tocada muito inadequadamente e insubstancialmente,” destacou. “Ele diz que a entendimento do sacrifício da cruz pertence a um mundo de cultura primitiva o qual não habitamos mais, então ele evita um entendimento fundamental da cruz.”

Tidball, ex-diretor da London School of Theology, chamou os escritos de Bell de “teologia light (teologia leve)” e “muito pós-moderna,” com grande parte do livro recheado de “histórias comoventes e uma lista sempre crescente de questões” que poderiam “atordoar” os ouvintes.
“é um livro que eu quero dizer ‘Sim, mas…,’” concluiu ele.

Ainda assim, Tidball não parou de elogiar a paixão de Bell – algo que os outros Cristãos deveriam tomar para si.

“Aqueles que desejam criticar este livro precisam ganhar o direito de fazê-lo por ser tão apaixonados em partilhar o amor de Cristo como Bell é,” disse ele.

A Aliança Evangélica foi fundada em 1846 e serve os Cristãos evangélicos no Reino Unido. Sobre a natureza do inferno, a aliança rejeita explicitamente o universalismo e acha que os argumentos sobre o arrependimento e segunda chance, não convencem.

A aliança está aberta à “esperança” para aqueles que nunca ouviram o evangelho, as crianças que morrem na infância (incluindo os nascituros), e aqueles cuja incapacidade mental torna a profissão de fé em Cristo impossível. Mas “é insistente que as afirmações absolutistas de que estas e outras categorias de pessoas que não professam a fé serão salvas correndo o risco de ser pelo menos tão arrogante como as afirmações absolutistas que estão condenando. O destino destas pessoas é determinação de Deus, e é determinado unicamente pela sua graça.”

[b]Fonte: The Christian Post[/b]