O Ano do Porco, que, pelo calendário lunar chinês começa no domingo, pode ser sinônimo de conflitos internacionais, catástrofes naturais e queda nas bolsas, de acordo com as previsões de videntes chineses.

Milhões de pessoas na China, além de outros países da Ásia e do resto do mundo, se despedirão do Ano do Cachorro à meia noite deste domingo (no horário de Pequim), mas o ambiente talvez não seja dos mais festivos.

Segundo as crenças chinesas, o Ano do Porco tem como símbolo o fogo sobre a água. “É o símbolo do conflito e isso pode significar um ano relativamente menos pacífico e com mais conflitos internacionais, revoltas, atentados a bomba e governos derrubados”, explicou Raymond Lo, mestre de feng shui.

“Vento-água”, na tradução literal, o feng shui é uma filosofia que procura alcançar a harmonia das relações humanas com o meio ambiente, permitindo a melhor circulação possível do Qi, a energia vital.

O calendário lunar associa cada um dos doze anos do zodíaco a um animal. O porco é o último de um ciclo que começa com o rato, seguido por boi, tigre, coelho, dragão, serpente, cabra, macaco, galo e cachorro.

Os videntes justificam suas previsões nas relações entre os animais do zodíaco e as características de cada ano.

Levam em conta também as modificações sofridas pelos cinco elementos da filosofia chinesa que determinam um “bom” ou um “mau” feng shui: o ouro, a madeira, a água, o fogo e a terra.

No Ano do Porco, a localização do fogo sobre a água é considerada uma das piores situações: “as guerras religiosas se agravarão”, acredita o mestre de feng shui Lee Sing-tong, referindo-se a uma nova escalada de violência no Oriente Médio.

Pelo calendário lunar, que segue ciclos de 60 anos, 2007 verá acontecimentos semelhantes aos de 1947.

Nesse ano, a Guerra Fria estava no auge: Washington fazia seguir à risca sua doutrina anticomunista, enquanto a União Soviética se recusava a obedecer qualquer espécie de controle militar, levando ao acirramento da corrida armamentista entre as duas potências.

A vidente Alion Yeo, que no ano passado havia previsto a explosão da bomba atômica norte-coreana, prevê para este ano, “entre junho e julho”, uma doença para Kim Jong-Il, presidente da Coréia do Norte, inclusive sua substituição no poder.

Yeo também vê um “grande incêndio ou explosão” em junho ou julho. “Será algo que chamará a atenção internacional e provocará a queda dos mercados”, afirmou.

Mas as bolsas de valores irão se recuperar rapidamente, garante a vidente, e os distúrbios geopolíticos acabarão sendo solucionados.

“É certo que haverá muita violência, mas os problemas serão resolvidos”.

Raymond Lo está de acordo com as previsões, destacando ainda que o porco simboliza o gênesis e o renascimento. “O Ano do Porco pode trazer um renascimento nas relações internacionais e na ordem social. Isso pode significar novos regimes com novos governos”.

Fonte: AFP