A Aliança Reformada Mundial (ARM) deu um passo definitivo para a criação de um novo organismo das igrejas reformadas quando seu Comitê Executivo, reunido esta semana em Trinidad e Tobago, aprovou a união desse organismo ao Concílio Ecumênico Reformado (ERC, a sigla em inglês).

Segundo despacho da ARM, a histórica decisão foi tomada depois de dois dias de deliberações sobre os muitos aspectos que contempla a união com o ERC.

Uma vez conhecido o resultado favorável da votação, o presidente da Aliança, reverendo Clifton Kirkpatrick, qualificou a decisão como “muito importante” e convidou os participantes da reunião a unir-se no canto da doxologia.

O presidente do ERC, reverendo Douwe Visser, expressou confiança de que os esforços dos dois organismos serão somados para que tenham um alcance ainda maior no futuro. “Tenho o sentimento de que este novo corpo será a voz do mundo reformado”, declarou.

Em março deste ano, o Comitê Executivo do ERC tinha aprovado a união com a Aliança, quando propôs que o novo organismo fosse chamado de Comunhão Reformada Mundial.

No entanto, o comitê executivo da ARM pediu mais tempo para definir como será chamado o novo organismo das igrejas, cujas origens remontam à Reforma protestante do século XVI.

O Concílio Ecumênico Reformado – a segunda maior organização mundial de igrejas de tradição reformada com sede em Grand Rapids, Michigan, Estados Unidos – foi fundado em 1946 e conta com 39 denominações espalhadas em 25 países. A maioria das suas igrejas-membro também pertence à Aliança Reformada Mundial.

A ARM, fundada em 1970, conta com 214 igrejas membros em 107 países que, somadas, representam 75 milhões de cristãos reformados. Na América Latina, a Aliança conta com 23 igrejas membros em 13 países do continente.

Fonte: ALC