Terceiro entrevistado na série de sabatinas Folha/UOL, o candidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno (PRB) disse nesta quarta-feira (22) que gostaria de ver “uma igreja em cada quarteirão” da cidade.

“Vou preservar todas as igrejas, regularizando a situação delas, e gostaria que em cada quarteirão houvesse uma igreja pregando o amor ao próximo”, afirmou. Para o candidato, a religião é capaz de evitar que as pessoas cometam crimes.

No início desta semana, Russomanno criticou o prefeito Gilberto Kassab (PSD) quanto à regularização de igrejas, afirmando que Kassab fez uso político das concessões liberadas aos templos religiosos. O prefeito tem articulado apoio de igrejas evangélicas para o candidato do PSDB à prefeitura, José Serra.

Pesquisa Datafolha divulgada ontem (21) aponta Russomanno liderando a disputa em São Paulo com 31% das intenções de voto, tecnicamente empatado com José Serra, que aparece com 27%.

Entre o eleitorado evangélico, porém, a vantagem de Russomanno é ainda maior: dos que frequentam igrejas evangélicas pentecostais, 38% afirmam que vão votar em Russomanno, contra 25% em José Serra, o segundo colocado entre esse público.

A liderança também ocorre entre os eleitores de igrejas evangélicas não pentecostais: 34% para Russomanno e 31% para Serra.

Para Russomanno, a religião é capaz de transformar as pessoas. “As pessoas não matam ou roubam porque a lei proíbe, mas porque têm uma linha religiosa. Existe igreja porque a população é temente a Deus, porque a população acredita”, disse o candidato.

Russomanno também negou que a Igreja Universal do Reino de Deus controle o seu partido. “De todos os membros do PRB, 80% são de todas as religiões, inclusive a católica, 20% são evangélicos e 6% são da Igreja Universal”, disse, lembrando ainda que um dos fundadores do partido, o ex-vice-presidente José Alencar –que morreu em 2011–, era católico.

[b]Fonte: UOL[/b]