O pastor Silas Malafaia e o presidente Michel Temer eram aliados. Malafaia chegou a fazer orações com o peemedebista no Planalto e a defendê-lo de boatos.

Tudo mudou após a Procuradoria-Geral da República denunciar o presidente por corrupção.

Com as denúncias, que implicam Temer em um esquema de corrupção, capitaneado pela JBS de Joesley Batista, a relação dos dois ficou estremecida.

“Até a pessoa ser denunciada, eu a encontro publicamente. Depois, ela que responda por seus atos. Não vou me comprometer. Oro pelo Brasil. Não preciso nem vou lá [Palácio do Planalto]”, afirmou. “Agora eu quero é distância.”

Em maio, o pastor disse que o peemedebista era “amador”. “Temer não tem condição de continuar. Ele não é nenhum inocente, alguém que começou ontem. Tem que renunciar!” , disparou.

O líder religioso atualmente parece estar mais preocupado em fazer campanha para João Dória ser eleito presidente em 2018, enquanto arruma confusão pelas redes sociais com os seguidores de Jair Bolsonaro, de quem também já foi aliado.

Fonte: Revista Época e Gospel Prime