[img align=left width=300]http://www.jmnoticia.com.br/wp-content/uploads/2017/04/amarildoa.jpg[/img]

Depois de muitas polêmicas e várias ações judiciais ajuizadas em várias partes do país, mais de 20 mil ministros do evangelho vão escolher neste domingo, 09, o novo presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) para conduzir a entidade pelo próximo quadriênio 2017-2021.

[url=http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=33698][b]URGENTE: Justiça manda suspender as eleições da CGADB por descumprimento de ordem judicial[/b]
[/url]
O Evento ocorrerá em São Paulo, durante a 43ª Assembleia Geral Ordinária da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). A votação, que iniciou às 00hs deste domingo e encerra às 18 horas, será online e cada ministro pode votar de onde estiver pelo celular ou computador.

De acordo com informações obtidas pelo portal gospel JM Notícia, vão concorrer à presidência os pastores Samuel Câmara, José Wellington Júnior e Cícero Tardim.

Após ser acusado de não se desincompatibilizar da CPAD para concorrer à presidência da CGADB, o Superior Tribunal de Justiça liberou nesta sexta-feira, 07, a candidatura do pastor José Wellington Júnior à presidência da CGADB, mas manteve todas as decisões judiciais de outros tribunais que tratavam da eleição, inclusive, o cancelamento de 10.479 inscrições. Portanto, a eleição contará com três candidatos na disputa.

[b]PERFIL DOS PRESIDENCIÁVEIS
[/b]
Pastor Wellington Júnior – É ex-presidente da Casa Publicadora das Assembleias de Deus (CPAD), presidente da Assembleia de Deus na cidade de Guarulhos (SP) e 1º vice-presidente da Convenção Confradesp.

Pastor Samuel Câmara – É Presidente da Igreja Mãe em Belém do Pará, e já exerceu os cargos de 1º Secretário e 1º Vice Presidente na CGADB.

Pastor Cícero Tardim – É presidente da Assembleia de Deus Alto Piriqui –PR.

[b]Polêmicas e escândalos[/b]

O pastor José Wellington Júnior, filho do atual presidente, havia sido retirado da corrida ao cargo em 8 de fevereiro pelo juiz Levine Raja Gabaglia Artiaga, que cassou por meio de liminar sua candidatura e também afastou o presidente e vice-presidente da comissão eleitoral Antonio Carlos Lorenzetti de Melo e Wilson Pinheiro Brandão.

A liminar acatada pelo juiz no Amazonas, foi requerida pelo pastor ligado à convenção Efraim Soares de Moura, que elencou diversas irregularidades, entre elas o fato de José Wellington – filho do atual presidente José Wellington Bezerra da Costa – não ter se desincompatibilizado do cargo de presidente da CPAD (Casa Publicadora das Assembleias de Deus).

De acordo com a regra expressa no edital que regulamenta o processo eleitoral, diretores da editora estão impedidos de se candidatar. Moura alega que a desincompatibilização deveria ter sido informada por meio de documentos no ato do registro, o que não foi realizado.

Também foram descobertas pela Justiça irregularidades no processo de votação, por parte da cúpula da CGADB. Em meio a uma “guerra de liminares”, está o futuro da maior convenção evangélica de pastores do país.

Nos últimos 25 anos o pastor José Wellington Bezerra da Costa liderou a denominação, mas não quer mais concorrer, preferindo indicar seu filho. Com a candidatura cassada de seu possível sucessor, a disputa seria entre o pastor Samuel Câmara, de Belém do Pará e Cícero Aparecido Tarjim, de Alto Piriqui, no Paraná.

Além da disputa pela legitimidade de sua candidatura, foram comprovadas irregularidades na empresa Scytl Soluções em informática, que comandaria o processo. Por ordem judicial, 10.479 inscrições para votação foram canceladas, pois dentre elas existiam “pastores” cadastrados que não existem ou já estão mortos.

O Supremo Tribunal de Justiça decidir juntar no fórum de Madureira, no Rio de Janeiro, os 14 processos em andamento. O Juiz Thomas Souza decidiu manter todas as intervenções e punições em caso de desobediência ou obstrução da justiça, e o cancelamentos das inscrições irregulares. Ao mesmo tempo, devolveu a José Wellington da Costa Jr. o direito de concorrer no pleito de domingo.

Com o cumprimento de outras duas liminares, foi afastada toda a comissão eleitoral e nomeado como “interventor” o dr, Márcio José Oliveira da Costa, que estará no comando na eleição de domingo.

De acordo com fontes do site JM Notícia, lideranças do pastor Samuel Câmara não conseguiram acesso aos dados da eleição, requerimentos não foram atendidos e após várias tentativas frustradas de acordo, diversas ações foram impetradas, novamente, às vésperas destas novas eleições.

[b]Eleições suspensas[/b]

Pouco tempo depois da publicação desta matéria, a justiça do Rio de Janeiro [url=http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=33698]mandou suspender as eleições da Convenção Geral das Assembleias de Deus[/url] (Processo nº 0084255-87.2017.8.19.0001). A eleição que acontece por meio eletrônico iniciou às 00 horas deste domingo e se encerra às 18 horas.

“Determino a suspensão das eleições da Mesa Diretora e do conselho fiscal da Convenção Geral das Assembleias de Deus do Brasil para o quadriênio 2017/2021, devendo ser designada nova data com observação de todas as ordens judiciais proferidas”.

[b]Fonte: JM Notícia e Gospel Prime[/b]