Em nota divulgada neste domingo, bispos da CNBB paulista disseram que “não indicam nem vetam candidatos ou partidos”.

Bispos do braço paulista da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) recuaram e divulgaram nota neste domingo na qual agora dizem que “não indicam nem vetam candidatos ou partidos” e enfatizam “que não patrocinam a impressão e a difusão de folhetos a favor ou contra” os que disputam as eleições presidenciais.

O mesmo bispo que assina a nota, d. Nelson Westrupp (Santo André), também assinou texto da Regional Sul 1 da CNBB (que reúne os bispos paulistas) datado de 26 de agosto que atribuía posições pró-aborto ao PT, ao governo federal, ao presidente Lula e à presidenciável petista Dilma Rousseff.

A Regional Sul 1 é presidida por dom Nelson. Além dele, também assinavam o texto antipetista dom Benedito Beni dos Santos (vice-presidente da Regional Sul 1) e dom Airton José dos Santos (secretário-geral).

No texto de agosto, chamado “Apelo a todos os brasileiros e brasileiras”, os bispos recomendaram aos eleitores que votassem “somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalização do aborto”.

O texto virou um panfleto e foi distribuídos em missas em Belo Horizonte (MG) e em Aparecida (SP) por cabos eleitorais contrários ao PT.

Os panfletos que recomendavam votos contra o PT nas eleições presidenciais foram encomendados pela Diocese de Guarulhos _atualmente dirigida pelo bispo dom Luiz Gonzaga Bergonzini.

“O Regional Sul 1 da CNBB desaprova a instrumentalização de suas declarações e notas e enfatiza que não patrocina a impressão e a difusão de folhetos a favor ou contra candidatos”, diz um trecho da nota divulgada neste domingo, em Indaiatuba (SP), onde os bispos paulistas se reuniram neste fim de semana.

A nota diz ainda que os bispos “não indicam nem vetam candidatos ou partidos e respeitam a decisão livre e autônoma de cada eleitor”.

Cerca de 50 bispos paulistas se reuniram durante duas horas na noite de sábado para redigir a nota que demonstra o recuo da regional.

Os bispos avaliaram que o erro do texto de agosto –já retirado do site da regional– foi ter citado a sigla do PT e ter feito referência direta à presidenciável petista.

“O erro que foi a apresentação de siglas partidárias. Isso não poderia ter acontecido. Você pode fazer uma nota tranquilamente, mas a partir do momento que você cita nomes e cita partidos políticos aí você fere as pessoas”, disse o bispo de Limeira (SP), dom Vilson Dias de Oliveira, coordenador da comissão de comunicação da regional.

Agora a seção paulista da CNBB recomendou que bispos evitem citar nomes de partidos ou de políticos em manifestações públicas _como cartas ou declarações.

Os bispos que comandam a regional não quiseram se manifestar neste domingo.

[b]Fonte: Folha Online
[/b]