Bispos da América Latina e Caribe discutem até o dia 31 os desafios da Igreja Católica para o 3º milênio durante a 5ª Celam (Conferência Geral do Episcopado Latino-americano), em Aparecida (167 km a nordeste de São Paulo).

O papa Bento 16 deixou ontem o Brasil, após uma viagem de cinco dias por São Paulo, Aparecida e Guaratinguetá (176 km a nordeste de São Paulo).

Entre os desafios da igreja para o terceiro milênio que serão debatidos durante os próximos 18 dias de conferência estão o embate entre os conservadores e os progressistas que defendem a teologia da libertação, a estrutura familiar, a manutenção dos jovens na vida crista, a ordenação de mulheres, e a perda de fiéis para igrejas evangélicas neo-pentecostais, um dos temas que mais preocupa os bispos brasileiros.

“Os bispos estão muito preocupados com igrejas evangélicas que abrem a cada esquina”, disse o bispo d. Antonio Celso Queirós, de Catanduva (SP), que fez questão de separar as igrejas tradicionais.

Segundo d. Celso, uma pesquisa feita a pedido da Igreja Católica revelou que mais de 90% dos fieis deixam o catolicismo pela “acolhida” que as igrejas evangélicas dão a seus novos integrantes.

“É uma coisa tão simples. Eles (os evangélicos) vieram nos lembrar disso”, afirmou o bispo, ao lembrar que a forma com que o papa foi acolhido no Brasil também será um exemplo para também receber as pessoas na igreja. “Nunca fui em um lugar para ser tão recebido como o papa foi. As pessoas também devem ser bem recebidas na igreja”, completou d. Celso.

Para d. Celso, são detalhes como uma pessoa para receber os fiéis na porta da igreja, oferecer água e um banco confortável que devem ser observados pela igreja e também discutidos na Celam. “Alguns bancos de igreja são lamentáveis”, revelou o bispo.

Outra questão que será abordada na Celam é como a Igreja Católica poderá contribuir para solução de problemas considerados urgentes pelo papa Bento 16, como a miséria dos povos latino-americanos.

Fonte: Folha Online