Em entrevista contundente na Rádio Rondônia, a figura máxima da religião Católica em Porto Velho, o arcebispo do município, Dom Moacir Grechi (foto), criticou a postura de Igrejas cristãs que cobram dízimo aos seus fiéis.

O religioso condenou o que chamou da pratica da “Teologia do Bem Estar” se referindo a crescente demanda de seitas e religiões que vendem “esperança” sem se importar com a verdadeira face do rito, numa alusão a Igreja Universal do Reino de Deus..

O arcebispo falou do Bispo Edir Macedo, um dos fundadores da Igreja Universal do Reino de Deus, se referindo a aquele que vende a si mesmo e os seus fiéis. Disse que naquela religião, tratam o rebanho, se referindo a massa de crentes, como se fossem “fregueses”, em alusão ao comércio. “Eles tem templo, mas não tem comunidade”, sentenciou.

Ainda no decorrer da entrevista, disse aos ouvintes da A Hora do Povo, que a questão do dízimo é muito mal interpretada nas Igrejas recentes. “O que eles fazem é uma verdadeira afronta a Deus. Vendem a si mesmos e a seus fiéis sem nenhuma cerimônia. Não quero generalizar. Mas me sinto muito mal quando há uma deturpação do que é realmente o dízimo, por exemplo”, disse o sacerdote.

Perguntado se Dom Moacir era a favor ou não do casamento de cléricos na Igreja Católica, disse que essa era uma questão histórica e tradicional da Igreja Católica. “Acho que o casamento poderia até ocorrer, mas a dificuldade seria na hora do sacerdote ter que dividir tarefas de marido e sacerdote. Acabaria assim se descuidando, seja como homem da Igreja, ou como esposo de alguém”, finalizou.

Fonte: Rondonoticias