O candidato a prefeito de João Pessoa pelo PTN, Francisco Barreto, denunciou em seu guia eleitoral a suposta perseguição por parte da Prefeitura a templos religiosos da capital.

A propósito dessa denúncia, o arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, e o pastor João Filho, da 1ª Igreja Batista de Manaíra, gravaram participações especiais no guia do candidato Ricardo Coutinho que será exibido hoje negando as informações divulgadas por Barreto. Os dois líderes religiosos afirmam que a Prefeitura está sendo acusada de “forma injusta e absurda”.

Na declaração de Dom Aldo, o arcebispo “lamenta profundamente o uso político e distorcido de uma informação, criando uma foto social que não existe”. “E para restaurar a verdade, eu me vi na obrigação de emitir uma nota oficial em nome da Arquidiocese da Paraíba”, disse Dom Aldo.

O arcebispo explica em seu depoimento que não existe por parte da Prefeitura qualquer iniciativa neste sentido e vai mais além. “O que existe são ações da Curadoria do Patrimônio para que nós possamos rever as concessões desses espaços destinados a templos para que sejam utilizados em ações de caráter social. Este procedimento é normal e em momento algum a Prefeitura fala em demolir igrejas”, enfatizou.

Já o Pastor João Filho, da Primeira Igreja Batista de Manaíra, disse. “Como pastor evangélico, o meu compromisso é com a verdade. Não há qualquer procedência nessa informação de que a Prefeitura vai tomar ou demolir templos evangélico, católicos ou de outras denominações. Esta é uma acusação injusta. Acompanho de perto este processo e o que eu tenho a dizer é que existe uma reavaliação de concessões de locais que está sendo solicitada pelo Ministério Público. Muitas igrejas podem ser beneficiadas com estes pequenos ajustes, inclusive a minha já foi”, declarou em depoimento.

Fonte: Paraíba Online