O cardeal-arcebispo de Québec, Canadá, Marc Ouellet, enviou uma carta aos fiéis, na qual, pede perdão pela atitude, muitas vezes discriminatória, adotada no passado pela Igreja local, bem como por abusos sexuais cometidos por alguns membros do clero.

O purpurado condena, de modo particular, “o racismo e o anti-semitismo defendido por alguns católicos até os anos 60” e “as discriminações praticadas por funcionários das dioceses, em razão de suas orientações sexuais, em nítido contraste com a doutrina da Igreja”.

O cardeal reprova firmemente os escândalos sexuais que envolveram alguns membros do clero: “Tais atos transformaram a vida das vítimas, e esses abusos comprometeram a confiança do rebanho em relação a seus pastores: temos plena consciência disso.”

Para purificar a memória coletiva em Québec e em vista do Congresso Eucarístico Internacional, que se celebrará nessa cidade, de 15 a 22 de junho de 2008, o Cardeal Ouellet predispôs um “caminho de arrependimento e reconciliação” para a próxima Quaresma, seguindo o exemplo de João Paulo II em relação ao Jubileu do ano 2000.

Fonte: Rádio Vaticano