O arcebispo de Cidade do México, cardeal Norberto Rivera Carrera, qualificou de “aberração” a resolução da Suprema Corte de Justiça do país, que declarou na última semana a constitucionalidade das uniões entre pessoas do mesmo sexo.

“Frente ao aberrante julgamento de constitucionalidade à imoral reforma de lei que permite as uniões entre pessoas do mesmo sexo (…), a Igreja não pode deixar” de falar sobre o tema, expressou o religioso, em uma carta lida logo após a homilia deste domingo.

Para Rivera, “os matrimônios de facto de pessoas do mesmo sexo são imorais”, pois “contradizem o projeto divino e desvirtuam a natureza do casamento elevado por Cristo à dignidade do sacramento”.

O arcebispo disse ainda quer esse tipo de união “jamais” poderá ser equivalente à “expressão sexual do amor conjugal”, pois “põe em risco a dignidade e os direitos da família”, que constituem o bem comum da sociedade.

Na quinta-feira passada, a Suprema Corte considerou válida a modificação no Código Civil que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo na Cidade do México. A medida está em vigor desde março e já possibilitou mais de 300 uniões.

Com as alterações no código, casais homossexuais também podem adotar crianças, além de terem os mesmos direitos e deveres dos heterossexuais. No último mês, a Argentina tornou-se o primeiro país da América Latina a permitir o casamento entre gays em todo o território.

[b]Fonte: Ansa[/b]