O pernambucano José Ricardo Ferreira de Souza, 31 anos, assassinado em Nova Iorque, nos Estados Unidos (EUA), foi enterrado neste sábado (18), no Cemitério de Santo Amaro, área central do Recife.

Após quase três semanas de angústia para conseguir transferir o corpo do arcebispo da Igreja Antiga Católica Americana, que também trabalhava em um escritório de advocacia, os familiares ainda tiveram dificuldade para realizar o sepultamento por causa do grande número de enterros marcados para Santo Amaro.

Os parentes de José Ricardo chegaram ao cemitério por volta das 08h, e a cerimônia estava marcada para às 11h, sendo transferida para às 12h. Eles ficaram na rua, ao lado do carro da funerária onde estava o caixão. De acordo com a administração de santo Amaro, a demora aconteceu porque não há reserva de espaço no velório e os corpos são velados por ordem de chegada.

O corpo do pernambucano chegou no Recife às 17h da última sexta-feira (17), e os US$ 7 mil de custo do translado dos EUA para o Rio de Janeiro foram pagos pela Safe Horizon Foundation (Fundação Horizonte Seguro), ONG americana que presta assistência a vítimas da violência em Nova Iorque. A viagem até a capital pernambucana se deveu a negociações entre a prefeitura da cidade e o Consulado dos Estados Unidos.

Morando na comunidade nova-iorquina de imigrantes há 8 anos, o arcebispo era conhecido no local como dom Ricardo Souza. Ele foi encontrado morto no último dia 29, com sinais de estrangulamento em uma praia do Brooklyn, bairro onde morava há apenas três meses. Segundo a irmã dele, Maria José Ferreira de Souza, 34, a polícia de Nova Iorque trabalha com a hipótese de latrocínio (assalto seguido de morte).

Fonte: JC Online