As equipes que trabalham nas obras de restauração da igreja de Nossa Senhora do Carmo da antiga Sé, no centro do Rio, encontraram nesta quarta-feira uma provável estrutura de antiga paliçada –tapume feito com estacas fincadas na terra– que pode ter sido construída antes da fundação da cidade.

Próximo ao local das obras também foram encontrados um machado indígena e restos de uma fogueira.

O trabalho realizado na antiga construção envolve as áreas de engenharia, restauração, arqueologia, história e arquitetura.

No sítio arqueológico da antiga Sé, podem ser vistos ainda um ossário e estruturas de outras fases de ocupação daquele local. As pesquisas mostraram que a construção passou por ao menos cinco ocupações em momentos diferentes desde o século 16.

A recuperação das fachadas e o restauro do interior da igreja, bem como as obras de infra-estrutura, tem o acompanhamento técnico do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Visitação

Até dezembro deste ano as obras de restauração da antiga Sé, monumento símbolo das Comemorações do Bicentenário da Chegada da Família Real ao Rio de Janeiro, recebem visitantes. Grupos de até 40 pessoas podem conferir as obras e ainda conhecer a exposição educativa que foi montada no local.

Durante o trajeto, é possível entender as várias etapas necessárias para se recuperar a talha dourada do interior da igreja e também os muitos elementos decorativos das fachadas da construção.

A exposição mostra detalhes do trabalho de restauro, como a limpeza e a higienização das obras de arte, a recuperação de pinturas e douramentos e as muitas técnicas utilizadas.

As escolas têm atendimento especial. Além da visita, alunos entre 9 e 15 anos participam de oficinas de colagem e pintura que brincam com elementos relacionados à igreja e à história da Família Real. Ao todo, o programa dura 1h30.

Fonte: Folha Online