A Arquidiocese de Olinda e Recife afastou, nesta quarta-feira (9), o padre Rômolo Avagliano da paróquia de Itapissuma e Itamaracá, ambas na Região Metropolitana do Recife. Ele está sendo investigado por um suposto envolvimento com um caso de corrupção de menores.

A arquidiocese determinou que o padre Edvaldo Bezerra, da paróquia de Boa Viagem, acumulasse também às paróquias de Itapissuma e Itamaracá.As freguesias eram comandadas pelo padre Rômulo Avagliano, mas ele foi afastado enquanto as investigações sobre um possível crime de abuso sexual sejam concluídas.

Pesa contra o padre o depoimento de cinco testemunhas, entre adolescentes e crianças, que afirmam ter sido violentadas pelo religioso. Os fiéis não acreditam nessas acusações, mas mesmo assim a arquidiocese decidiu afastá-lo.

Para o padre Edvaldo Bezerra, a medida da arquidiocese foi
acertada: “O afastamento de padre Rômulo foi meramente para preservar a imagem dele junto aos fiéis e a sociedade. Tão logo a inocência dele seja comprovada, a paróquia volta a ter o comando dele.”, explicou o religioso.

Inquérito

Um inquérito, que está instaurado na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), traz oito depoimentos de pessoas que testemunharam contra o padre. Entre elas estão dois ex-coroinhas da igreja, que disseram ter sido abusados sexualmente por ele quatro anos atrás. Uma das vítimas tem hoje 19 anos de idade e a outra está perto de completar também 19 anos.

A delegada Inalva Regina disse que esses depoimentos não são suficientes para pedir o indiciamento do padre. Ela decidiu encaminhar o material ao Ministério Público e pedir à Justiça um prazo maior para conclusão das investigações.

Fonte: pe360graus