Um ano do assassinato dos pastores luteranos salvadorenhos Francisco Carillo e Jesús Calzada de Carrilo, ocorrido no dia 4 de novembro de 2006, o caso ainda não foi esclarecido.

O casal foi assassinado às 17h, quando saía da Igreja Luterana Montes de Penzberg, localizada no Cantão 2 de Maio, no município de Jayaque.

Apesar das pressões da Igreja Luterana, o caso continua impune, rolando nas gavetas de escrivaninhas da polícia e do ministério público. “Desde o assassinato não descansamos em exigir justiça, mas querem negar-nos a verdade. No entanto, não vamos descansar até conseguir a justiça”, afirmou o coordenador de imprensa da Igreja Luterana, Rafael Menjivar Saavedra.

Para o dia 4 de novembro está sendo preparada uma procissão até a Igreja Montes de Penzberg; uma oração ecumênica no lugar onde ocorreu o assassinato e, depois, um programa cultural. As atividades serão acompanhadas por Bernhard Schiefer, da Alemanha, que foi enviado para acompanhar o processo em Jayaque.

Fonte: ALC