A Igreja Evangélica Assembléia de Deus – Ministério Madureira – aderiu à campanha Nepotismo no Poder Público é Imoral. Dilmo dos Santos, pastor presidente do campo de Piracicaba, informou que pretende formar comissão específica para cuidar da campanha nas 74 igrejas de Piracicaba. “Vamos direcionar o trabalho para alcançar resultados positivos”, afirmou.

“É grande a luta para vermos o país mais justo e equilibrado, por isso decidimos aderir a esse movimento”, avaliou o pastor, observando que beneficiar parente empregando-o em algum cargo traz prejuízo para a sociedade como um todo.
Santos disse que a igreja quer ajudar o movimento e somar esforços para obter resultados positivos. Segundo o religioso, somente em Piracicaba existem 74 Igrejas Assembléia de Deus. Elas concentram 12 mil membros e outros 30 mil congregados –– simpatizantes.

“Queremos avaliar a forma de proceder para a coleta de assinaturas, inclusive com diretrizes do próprio JP, enquanto um dos organizadores do movimento”, afirmou.

As escolas estaduais de Piracicaba que integram o movimento aceleraram o ritmo de coleta de assinaturas. Um balanço parcial da DRE (Diretoria Regional de Ensino), na semana passada, constatou que quatro escolas já devolveram as listas com pelo menos 150 assinaturas. Outras duas estão disponíveis na DRE –– uma na entrada e outra no setor administrativo –– e juntas conseguiram adesão de 50 eleitores piracicabanos. O movimento contra o nepotismo –– contratação de parentes no serviço público –– tem pelo menos 160 pontos de coleta de assinaturas espalhados por Piracicaba, de acordo com levantamento realizado pelo Jornal de Piracicaba.

O objetivo do movimento é coletar pelo menos 7.000 para juntar com as outras 5.000 obtidas na primeira fase. O documento permitirá que o projeto de lei de iniciativa popular, proibindo o nepotismo no serviço público em Piracicaba, seja protocolado na Câmara de Vereadores.

Além da Igreja Assembléia de Deus – Ministério Madureira, também integram o movimento a Fealq (Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz), Apap (Associação Piracicabana de Artistas Plásticos) e Colégio Dom Bosco-Assunção.

O padre Aramis Francisco Biaggi, diretor do colégio, considerou a campanha organizada pelo JP e por outras instituições exercício de cidadania, que tem a ver com os valores e princípios morais e éticos que defendemos e ensinamos em nossas unidades. “O nepotismo no poder público é um ato injusto, que sucateia e despreza o universo profissional e em nome de interesses mesquinhos e protecionistas, valoriza, muitas vezes, a incompetência e a incapacidade de muitas pessoas”, observou.

Fonte: Jornal de Piracicaba