Os hotéis de Pequim devem oferecer bíblias a seus hóspedes durante os Jogos Olímpicos de 2008 e ajudar assim a dissipar os “mal-entendidos” sobre a liberdade religiosa na China, disse um assessor do Governo citado hoje pelo jornal “China Daily”.

“Muitos atletas e turistas estrangeiros estarão em Pequim nos Jogos. A maioria tem crenças religiosas. Oferecer bíblias nos hotéis atenderá a suas necessidades religiosas”, afirmou Liu Bainian, membro da Conferência do Conselho Político do Povo Chinês (CCPPC, órgão de assessoria do Governo).

Liu, que é também vice-presidente da Igreja Patriótica Católica Chinesa, acrescentou que o costume é “obrigatório nos hotéis dos países estrangeiros, principalmente na Europa”.

“A Igreja Patriótica pode ajudar”, disse Liu durante a sessão anual da CCPPC.

O pedido foi bem recebido pela única editora do país autorizada a imprimir o texto bíblico. Seu subsecretário, Zhang Liwei, mostrou sua disposição de “atender o melhor possível à demanda”.

Na sua preparação para os Jogos Olímpicos, Pequim quer acabar com as críticas generalizadas à falta de liberdade religiosa no país. As autoridades garantem que este direito está previsto na Constituição, desde que não viole as leis e que as crenças sejam as aprovadas pelo Governo.

Na sua visita à China no ano passado, o relator da ONU sobre a Tortura, Manfred Nowak, disse que fiéis de minorias religiosas como cristãos e muçulmanos, assim como praticantes do movimento Falung Gong (considerado uma seita por Pequim) são vítimas de severas sanções.

Segundo dados oficiais, a China tem 100 milhões de fiéis de diversas crenças, mais de 100 mil centros de reunião religiosos e 300 mil clérigos ou monges.

Fonte: EFE