Na última quarta feira (24), o SBT apresentou a edição especial de Natal do programa “The Noite”, do humorista a apresentador Danilo Gentili.

O programa contou com a participação de três sacerdotes cristãos de diferentes tradições religiosas que participaram de uma conversa sobre a data festiva. Na quinta feira (25), o programa continuou com o tema natalino e recebeu o cantor gospel Thalles Roberto, que falou sobre o seu testemunho, carreira e fé.

Ao falar sobre seu trabalho artístico, o cantor afirmou que não tem nenhuma relação com a religião, e que sua música fala de Deus sem falar de igrejas e sem ter relação com nenhum líder religioso.

– Eu não falo de religião, eu falo dos 3. Eu sou dos 3, quem é os 3: Pai, Filho e Espírito Santo. Essa foi a estratégia que eu tive para ser aceito, para chegar e começar a conversar sobre o assunto sem abordar religião – afirmou o cantor.

Ao ser questionado se sofria rejeição por falar de Deus, Thalles Roberto afirmou que tem muita gente muito machucada pela religião, e que por isso tenta falar de Deus de uma forma que seu discurso se afaste do discurso religioso. Ele ainda concordou com Danilo Gentili quando este afirmou que a religião já fez mal a muita gente.

– Eu acho que religião faz mal sempre, de verdade – afirmou o cantor, que disse ainda que começou a seguir a Deus quando começou a ler a Bíblia sozinho em um momento em que estava mergulhado nas drogas, sem que ninguém falasse com ele sobre igreja ou nada do tipo.

– Eu canto sobre Deus, canto sobre Jesus, canto sobre o Espírito Santo, mas não canto sobre religião. O assunto é diferente – completou, afirmando ainda que não se considera um cara que toca música gospel.

Durante a entrevista, Thalles Roberto falou também de como foi sua saída da igreja no início de sua juventude, e de como isso o levou a se afundar em uma vida de prostituição, drogas e depressão. Ele contou também de como se “reencontrou” com Deus, e saiu do momento de sua vida que classificou como o “fundo do poço”.

Thalles completou ainda a conversa sobre sua visão a respeito da música afirmando que não gosta de se rotular como cantor gospel pelo conteúdo de suas canções, e afirmou que seu trabalho está ajudando a quebrar as barreiras entre a música considerada gospel e a chamada música secular.

– A minha música não está chegando só nos evangélicos, porque eu acho isso muito pequeno. Imagina você cantar uma música que só fala com um segmento – afirmou o cantor, que ressaltou ainda acreditar que não exista um Deus dos evangélicos, ou Deus dos católicos, mas que “Deus é Deus”.

Assista a entrevista na íntegra:

[b]Fonte: Gospel +[/b]