A Associação de Preservação de Cambuci e Vila Deodoro deve se reunir nesta sexta-feira (30) para organizar um abaixo-assinado para pressionar a Prefeitura de São Paulo a desapropriar o terreno onde fica a sede da igreja Renascer em Cristo, no Cambuci, região central de São Paulo.

O terreno é o mesmo onde ficava o templo da igreja, cujo teto desabou no último dia 18, provocando nove mortes e deixando mais de cem pessoas feridas.

Além do abaixo-assinado, os vizinhos da igreja planejam buscar o apoio de ONGs (organizações não-governamentais) ligadas à cidade de São Paulo. A reunião deve acontecer hoje de manhã.

Fato é que a destinação do local preocupa os vizinhos, principalmente os de uma vila que fica ao lado do prédio. Algumas casas fazem divisa com as paredes dos fundos e da parede esquerda da estrutura.

Em geral, os vizinhos afirmam que a relação com a igreja nunca foi pacífica. Eles reclamam que a tranquilidade da vila foi quebrada com a presença dos fiéis no entorno.

Em entrevista coletiva concedida um dia após o acidente, o Ministério Público de São Paulo admitiu que já recebeu inúmeras reclamações dos moradores em relação à igreja, especialmente devido ao trânsito e à movimentação de carros na região.

“Uma coisa óbvia é o seguinte: se você tem capacidade aí para 3.000 pessoas, teria de ter um estacionamento para cerca de 1.000 carros, pelo menos. E é claro que aí [no prédio] não tem. Com isso, ocupam as ruas do entorno e muitas vezes temos dificuldades entrar em casa”, afirmou Maurício Bonafonte, 44, que já morou em outras casas da vila e hoje prepara a reforma de uma delas, onde pretende morar com a mulher e os filhos.

Outro ponto de discórdia é um portão lateral criado pela igreja –que dá acesso ao batistério e ao altar. Ele fica dentro da rua particular e foi colocado ali, segundo os moradores, de forma arbitrária pela Renascer.

Memorial do cinema

Uma das ideias dos moradores seria transformar o prédio da igreja Renascer em um memorial ao cinema. A proposta é homenagear Antonio Vituzzo, um aficionado colecionador de equipamentos e diversos produtos relacionados ao cinema nacional, que conseguiu reunir cerca de 4.000 peças, entre projetores, rolos de filmes, câmeras, máquinas fotográficas e fotos de diversos artistas da época.

Fonte: Folha Online