A Associação concedeu casamento civil e o religioso, vestido de noiva, alianças de ouro, buffet e ornamentação das capelas.

A Associação Vitória em Cristo (AVEC) promoveu nos dias 17 e 18 de dezembro, o casamento coletivo de 19 internos dos presídios Moniz Sodré e Esmeraldino Bandeira, no Complexo penitenciário de Bangu, no Rio de Janeiro.

O evento promovido pela AVEC repercutiu positivamente no Sistema Penitenciário.

“O casamento contribui para a mudança do interno e para a valorização da família. Essa parceria é muito importante,” declarou Victor Barbosa da Silva, diretor da penitenciária Moniz Sodré.

O patrocínio contemplou 20 casais, sendo que para um deles, o casamento ocorreu no civil, visto que o noivo conquistou a liberdade.

A Associação concedeu casamento civil e o religioso, vestido de noiva, alianças de ouro, buffet e ornamentação das capelas. Um DVD editado com imagens da cerimônia e uma Bíblia também foram oferecidos.

Os internos, que se converteram ao evangelho na prisão, consideraram a ação mais que festa, a legalização de seu relacionamento diante de Deus e a valorização da família.

Os casais, que já conviviam maritalmente e a maioria com filhos, disseram estar preparados para uma nova vida.

“O pecado destrói o casal. Agora, estamos mais estruturados, prontos para uma nova vida,” disse emocionado Clouder Vieira (na foto), 31 anos, afirmando que este era um sonho do casal.

“Era uma promessa de Deus para nós.”

Os casais esperaram pelo dia ansiosamente, com grande expectativa.

“Nem consegui dormir esta noite tamanha a ansiedade,” disse Camila Almeida, cujo sonho é refazer a vida ao lado de Clouder e esquecer as coisas ruins do passado.

As noivas elogiaram a decoração.

“Não esperava que ficasse tudo tão lindo,” disse Aline Pereira.

O marido de Aline, André Luís, converteu-se na prisão e Aline não perdeu a oportunidade de dizer sim para Jesus no culto da Quinta-feira da Vitória, na Assembléia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, realizado dois dias antes do casamento.

Alguns pais compareceram à cerimônia, sabendo que o apoio da família é fundamental nesse recomeço e expressaram sua satisfação. “Estou feliz por ele ter a oportunidade de construir a sua própria família,” disse Selma Maria Alonso, mãe de Tiago Alonso, preso há mais de dois anos.

“Estou muito emocionado. Somente Deus pode fazer algo tão maravilhoso,” declarou Pedro de Oliveira após entregar a filha Gisele Mariano ao genro Fabiano Alves.

[b]Fonte: Christian Post
[/b]