O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse ontem que qualquer ataque contra os cristãos do Iraque representa um ataque contra todos os iraquianos, em referência ao seqüestro do arcebispo caldeu de Mosul na sexta-feira passada.

Em comunicado emitido por seu escritório, Maliki disse que “a comunidade cristã no Iraque é um elemento-chave da sociedade iraquiana, e parte indispensável de seu povo e civilização, e qualquer agressão contra nossos filhos representa uma agressão contra todos os iraquianos”.

A mensagem de Maliki foi transmitida ao patriarca dos cristãos caldeus do Iraque, o cardeal Emmanuel III Delly.

O seqüestro

O religioso Boulos Faray, arcebispo caldeu da cidade de Mosul, a 400 quilômetros ao norte de Bagdá, foi seqüestrado por um grupo de homens armados, que interceptaram o veículo onde o religioso estava no bairro de Al-Nour, no nordeste da localidade no dia 29 de fevereiro.

Durante o ataque, morreram o motorista do veículo e dois guarda-costas que acompanhavam o clérigo católico, segundo fontes policiais.

Fonte: Portas Abertas