Dois veículos carregados com bombas explodiram em uma igreja de um quartel na Nigéria matando pelo menos 11 e feriram 30 pessoas.

Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques, mas os militares apontam como suspeita a facção islâmica Boko Haram, que tem ligações com a Al Qaeda e ataca frequentemente as forças de segurança e igrejas cristãs em sua luta para criar um Estado islâmico na Nigéria.

A população nigeriana de 160 milhões está dividida entre cristãos e muçulmanos.

O ataque ocorre dois dias após uma força-tarefa especial militar anunciar uma recompensa de US$ 1,8 milhão por informações que pudessem levar à prisão de integrantes da cúpula da Boko Haram. O grupo assumiu ataques a igrejas em junho.

O porta-voz do Exército nigeriano, Bola Koleoso, disse que um ônibus entrou na Igreja Militar Protestante de St. Andrew, no quartel Jaji, no Estado de Kaduna, e explodiu cinco minutos após o culto ter começado. Explosivos instalados em uma Toyota Camry foram detonados do lado de fora da igreja dez minutos depois.

Uma fonte militar disse que a segunda bomba foi a mais fatal, matando pessoas que foram ajudar os feridos pela primeira explosão.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]