Algumas das mais importantes igrejas católicas de Beirute celebraram ontem a missa de domingo para um número escasso de fiéis, num dia em que, normalmente, centenas de pessoas assistem à cerimônia nos templos católicos.

A igreja de São Francisco dos Capuchinhos celebrou a missa para apenas 30 fiéis, em sua grande maioria cidadãos de origem filipina.

“Fiquei porque trabalho aqui e se o meu chefe fica, eu não posso ir. Ele está pensando em ir para as montanhas, mas quer esperar um pouco”, comentou um jovem que se identificou como George e que trabalha para uma família libanesa.

George reconheceu que a missa deste domingo foi atípica porque normalmente a igreja fica lotada e é difícil encontrar um lugar para sentar. O sermão, falado em inglês, não fez referências explícitas ao que acontece no Líbano.

Na igreja do Rosário, onde normalmente os fiéis têm que assistir à missa do lado de fora, a situação foi semelhante.

Nabil, que trabalha na igreja, disse que os fiéis estão “a favor do Líbano”. “Esperamos que todos os presos libaneses sejam libertados em breve das prisões israelenses e que os dois soldados (de Israel) voltem em breve para suas famílias”.

O jovem acrescentou que sua congregação “deseja que a União Européia intervenha e que detenha a agressão israelense contra os territórios libaneses”.

“O Hisbolá não está aqui, por isso está mais tranqüilo. Mas o Hisbolá e os xiitas são libaneses, cidadãos e irmãos. Por isso hoje rezamos pela paz no Líbano e em todo Oriente Médio”, ressaltou.

Fonte: Último Segundo