O Serviço Nacional de Segurança do Uzbequistão, que já investiga abertamente atividades religiosas que desagradam as autoridades, está aumentando seus esforços nos últimos anos para conseguir informações a respeito de comunidades religiosas.

Membros de diversas comunidades reportaram ao Forum 18 a respeito de microfones escondidos em lugares de adoração, da presença de agentes do NSS durante cultos e do recrutamento de espiões entre seus próprios grupos.

Um cristão disse que agentes do NSS “tem um veículo com janelas escuras e, dez minutos antes do final do culto, eles abrem uma janela o suficiente para filmar todo mundo indo embora”.

“O NSS mostra especial interesse em recrutar líderes, tentando descobrir o que se passa em cada comunidade, quem vai onde, quanto dinheiro cada arrecada, de onde o dinheiro vem,” disse outro entrevistado ao Forum 18.

“Não queremos esmagar comunidades religiosas, apenas desejamos informação”, comentou Olimjan Turakulov, acessor de imprensa da NSS. Porém, ele não informou ao Forum 18 a razão de manter espiões em comunidades religiosas.

Agentes infiltrados nas igrejas

“Em cada igreja do país, há dois agentes da polícia secreta sentados – mas não apenas em igrejas, também em mesquitas e outros lugares de adoração”, disse um protestante que preferiu não se identificado. “Não estou preocupado, mas isso nos faz pensar a respeito de tudo que fazemos”, justificou.

Enquanto antigamente os agentes apenas sentavam nos bancos da igreja protestante em questão, agora eles também caminham entre seus corredores durante os cultos. “Eles querem intimidar as pessoas, querem que elas saibam que estão sendo observadas”, comentou a fonte do Forum 18.

Líderes de uma Igreja considerada tradicional pelo governo também reportaram que em cada episcopado as autoridades mantém oficiais para “ajudá-los”.

Ligações gravadas

“Freqüentemente, quando falamos ao telefone muito tempo sobre cristianismo, uma outra voz aparece na linha e nos indicia a comparecer no departamento, dizendo ‘precisamos conversar’”, disse um ativista protestante ao Forum 18.

“Em outras ocasiões a voz apenas diz para encerrarmos a conversa e colocarmos o telefone no gancho. Essa é outra maneira de nos intimidar”. O ativista acrescentou que às vezes ligações para crentes conhecidos são desviadas para um número com outra gravação.

Um líder de uma minoria religiosa disse ao Forum 18 que ouviu a respeito de um grande dossiê do NSS a respeito dele. Aparentemente, a maioria das informações nesse dossiê vêm de informantes. “Autoridades me avisam que em breve o conteúdo do documento será revelado”, disse.

O NSS também participa de batidas em comunidades religiosas, interrogando, detendo e prendendo membros dessas comunidades. Um caso típico foi o do pastor pentecostal Dmitry Shestakov, que foi sentenciado há 4 anos de trabalhos forçados pelo seu ministério religioso.

Rédea firme

O Uzbequistão, das ex-repúblicas soviéticas, é o país que mantém o controle mais severo sobre a ação religiosa. Atividades sem registro são banidas (em desacordo com os compromissos internacionais do país sobre direitos humanos). Assim como a pregação e publicação de ensinos não aprovados. Os que burlam a lei enfrentam lei civil e criminal rígida.

Estrangeiros envolvidos em atividades religiosas foram deportados e uma série de líderes locais teve o visto de saída rejeitado. Organizações humanitárias com orientação religiosa também foram fechadas no país.

Fonte: Portas Abertas