A Audiência Pública sobre o projeto chamado de “cura gay” movimentou Brasília na última terça-feira (27) reunindo diversos parlamentares e representantes de setores da sociedade para tratar sobre o assunto tão polêmico.

Proposto pelo deputado federal João Campos (PSDB-GO), o Projeto de Decreto Legislativo 234/11 tem como objetivo mudar as regras do Conselho Federal de Psicologia que trata sobre a relação dos psicólogos com os pacientes que tentam tratar sobre sua sexualidade.

Entre os convidados para debater o texto estava Silas Malafaia, que além de pastor é formado em psicologia. Em sua opinião o paciente se for adulto tem todo o direito de decidir sobre o próprio corpo e que por isso a CFP precisa mudar suas resoluções para deixar de impedir que os profissionais tratem daqueles que buscam esse tratamento.

Outro ponto da fala do líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo foi a crítica ao apoio que o Conselho tem dado aos ativistas gays.

A sala estava repleta de participantes, incluindo alguns manifestantes que tumultuaram a fala do pastor, diante de tantas interrupções o presidente da sessão, o deputado federal Luiz Henrique Mandetta, precisou esvaziar a sala para que a ordem fosse retomada.

O deputado Jean Wyllys ofendeu verbalmente o pastor e por isto repreendido pelo presidente da sessão por cinco vezes, por não ter seu pedido de respeito atendido o deputado do Psol precisou deixar a sala.

Além de Malafaia também debateram sobre o assunto a psicóloga cristã Marisa Lobo que defendeu seu posicionamento em favor do projeto do deputado João Campos dizendo que o homossexualismo não será tratado como uma doença, mas que ao dar a oportunidade de tratamento o paciente poderá decidir se quer continuar ou não a desejar sexualmente pessoas do mesmo sexo.

O presidente do Conselho Federal de Psicologia, Humberto Cota Verona, o presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABLGBT), Toni Reis e o deputado federal Jean Wyllys também discursaram sobre o tema.

[b]Desrespeito[/b]

O tom de desrespeito e as violências verbais, por parte de ativistas gays, marcaram o discurso do pastor Silas Malafaia. Em todas as vezes que o pastor tentava concluir o raciocínio, era interrompido.

O clima esquentou diversas vezes, principalmente quando o pastor Silas Malafaia proferia seu ponto de vista. Ativistas gays chegaram a estender uma faixa com o nome do pastor acompanhado de um símbolo nazista. O presidente da Comissão, deputado Mandetta (DEM-MS), encaminhou a denúncia do ocorrido para que haja punição ao desrespeitoso ato nas dependências do Congresso Nacional. “Quem são os intolerantes?”, questionou Malafaia.

Manifestantes da causa gay pareciam não se importar com o debate em pauta, mas em evidenciar sua aversão, de maneira indecorosa, ao pastor Silas Malafaia. Veja as imagens:

[img align=left width=300]http://www.verdadegospel.com/adwp01/wp-content/uploads/2012/11/Silas-se-liberta-c-600px.jpg[/img]

[img align=left width=300]http://www.verdadegospel.com/adwp01/wp-content/uploads/2012/11/Cartaz-01.jpg[/img]

[img align=left width=300]http://www.verdadegospel.com/adwp01/wp-content/uploads/2012/11/Cartaz-03.jpg[/img]

Veja o vídeo do discurso do pastor Silas Malafaia:

Fonte: Gospel Prime