Nos últimos dias, os trabalhadores da Portas Abertas no Iraque relataram um aumento da violência contra os cristãos no país, enquanto o Ramadã e as declarações do papa desencadearam uma atmosfera explosiva.

Muitos cristãos têm sido assassinados, outros têm sido vítimas de abusos e seqüestros, igrejas têm sido incendiadas e bombardeadas. Uma granada de mão foi atirada no carro de um sacerdote.

Além da luta sangrenta entre os muçulmanos xiitas e sunitas, a violência recente parece ser direcionada aos cristãos, deixando vários deles mortos em poucos dias.

Em Bagdá e Mosul, várias igrejas foram atacadas. Na manhã de ontem, 27, um grupo de homens disparou foguetes contra a Igreja Caldéia do Espírito Santo, em Mosul, e detonou explosivos do lado de fora da igreja. A agência AsiaNews noticiou que uma pessoa ficou ferida durante os ataques.

Na manhã de domingo, 24 de setembro, a Igreja do Espírito Santo foi atingida por tiros de muçulmanos que queriam que o bispo local condenasse o discurso do papa.

Um jovem escreveu nas portas da igreja: “Se o papa não se desculpar, vamos explodir todas as igrejas, matar mais cristãos e roubar suas propriedades e seu dinheiro”, contou um contato da Portas Abertas.

Depois dessas ameaças, algumas igrejas algumas igrejas teriam declarado que se recusam a apoiar as declarações do papa.

Explosões e mortes

Também no domingo, uma granada de mão foi lançada contra o carro de um sacerdote que estava estacionado do lado de fora Catedral de Santa Maria da Antiga Igreja do Leste, em Bagdá. Quando a polícia e os membros da igreja chegaram ao local, minutos depois, um carro-bomba explodiu nas proximidades, matando uma criança e um guarda da igreja.

Fontes da Portas Abertas em Bagdá disseram que pelo menos duas pessoas foram mortas e muitas outras foram feridas por bombas lançadas em frente e na parte de trás da igreja e do Patriarcado da Antiga Igreja do Leste.

No começo deste mês, um carro bomba explodiu a 250 metros da sede da Portas Abertas em Bagdá. Felizmente, ninguém ficou ferido, mas os visitantes ficaram muito assustados e os colaboradores permanecem ansiosos.

Portas Abertas faz um apelo aos cristãos para que se unam em oração pelos irmãos iraquianos.

Fonte: Portas Abertas