A semana de reflexão bíblica, que terminou ontem no Seminário Maior de Luanda da Igreja Católica, concluiu que a adesão de várias pessoas a seitas religiosas se deve à fraca compreensão da doutrina da Igreja e à falta de satisfação das suas necessidades, sobretudo as de índole econômica.

Estas foram as conclusões a que chegaram os participantes ao encontro. Lidas por Queirós Figueira, pré-finalista de teologia do Seminário Maior de Luanda, os católicos mostraram-se, mais uma vez, preocupados com a falta de clareza nos ensinamentos da palavra de Deus nas várias seitas religiosas instaladas no país.

Tal apreensão tem ainda a ver com o fato de se constatar, nos últimos tempos, um aumento vertiginoso de seitas religiosas que prometem dar resposta às necessidades e aspirações das pessoas, que, economicamente fragilizadas, se deixam enganar por esses falsos profetas.

Diante do fenômeno, os católicos acreditam que não se pode ficar indiferente ante tal situação, por constituir um obstáculo à fé das pessoas.

No acto de encerramento, o reitor do Seminário Maior de Luanda, padre António Rodrigues, afirmou que as seitas estão disseminadas um pouco por todo o país, desorientando os seus seguidores, porque “ não aceitam a origem divina da terra e não amam a verdade”.

O sacerdote sublinhou que a verdadeira ciência reconhece o Criador e a escatologia cristã não invade, nem apaga, mas estimula para o empenho histórico, conduzindo “a alegria da sociedade terrena para a plenitude da sociedade de Deus”.

O reitor do Seminário Maior de Luanda apontou a guerra que vitima todos os dias inocentes em várias partes do mundo, as injustiças sociais e a miséria que aflige, cada vez mais, os pobres, a criminalidade e os problemas socias, como sendo preocupações da Igreja Católica.

Subordinada ao tema “Escatologia e o empenho histórico”, a conferência teve a participação de estudantes de curso de teologia, filosofia, religiosos, sacerdotes e público em geral.

A “Semana Bíblica” abordou temas como “A presença-vinda de Cristo no curso da história”, “Dimensão cristológica e antropológica da escatologia do apocalipse” e “As seitas: obstáculos e desafios à missão da Igreja”, que foram apresentados por sacerdotes e docentes de forma metodológica e em várias perspectivas do saber científico.

Tal palestra serviu ainda para despertar a consciência das pessoas face aos desafios e problemas que o mundo atual enfrenta.

Fonte: Jornal de Angola