Yahava Ibrahim, pastor da Igreja Hekan, em Kadafa Dari, na maior área sob administração de Rogo, disse ao Compass que a demolição de uma das igrejas Hekan em Rogo e a ameaça de demolição de outras quatro são exemplos de perseguição em apenas um dos vários aspectos. Ele citou a discriminação contra crianças cristãs em escolas públicas.

“Nossas crianças não podem ser admitidas nas escolas do governo a menos que troquem seus nomes para nomes muçulmanos”, disse Ibrahim. “Existem momentos em que filhos de cristãos são forçados a se converterem ao Islã”.

Ibrahim disse que existem cerca de 13 mil cristãos na área sob administração local de Rogo, mas está sendo negado a eles local para construírem igrejas.

Sem locais para culto

“Quando você andar pela área do governo local, você deverá encontrar cerca de 72 grupos de irmãos se encontrando sob diferentes denominações, mas eles não têm terras para construir lugares de adoração”, ele disse ao Compass. “Esta é a situação que nos confronta diariamente aqui”.

Há planos do governo para demolir outras quatro igrejas no Estado de Kano ( leia mais). São elas: Igreja Evangélica da África Ocidental (ECWA, sigla em inglês), Igreja Assembléia de Deus, Monte de Fogo e Igreja dos Milagres, todas na área de Badawa, em Kano.

A igreja Hekan, em Rogo, que foi demolida em setembro de 2006, havia sido construída em 1982 e servia como a única igreja para todos os cristãos na cidade, a cerca de 120 quilômetros da cidade de Kano, no noroeste da Nigéria.

Fonte: Portas Abertas