Quedas de audiência fez a Globo tomar medidas para salvar a novela. Para Silas Malafaia (foto), insistir nos ataques pode acabar promovendo a novela.

A queda brusca da audiência da rede Globo com a novela das 21h (“Babilônia”) já não é mais novidade para os telespectadores brasileiros. Porém, a rede Globo tomou, no último final de semana, medidas que comprovam a “operação de salvamento” da emissora para resgatar a audiência perdida.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/smart/media.guiame.com.br/archives/2015/03/31/3833114423-.jpg[/img]Com chamadas mais “didáticas” durante os intervalos comerciais de outras programações, a mocinha da trama, Regina (Camilia Pitanga), por exemplo, está sendo apresentada para um público que ainda não assistiu à novela. A abertura e a logomarca da novela também foram modificadas (como é possível ver no comparativo da imagem acima). Na nova identidade visual (à direita) reforça-se o argumento de que o nome da novela foi inspirado do nome do conhecido morro do Rio de Janeiro (RJ).

Com cerca de 19% de queda na audiência desde sua estreia, a novela das 21h poderá entrar para a história como a de ibope mais baixo da emissora neste horário.

Com grande influência na Frente Evangélica da Câmara, o pastor Silas Malafaia orientou os parlamentares a pararem de bater na Globo devido ao beijo gay em “Babilônia”.

Segundo Lauro Jardim, em sua coluna Radar On-line, no site da Veja, o pastor Silas Malafaia não teria mudado de opinião, mas para o pastor, os ataques exagerados à novela podem produzir o efeito inverso e promovê-la no futuro.

Para Malafaia, a carta de repúdio divulgada em 19 de março pelos deputados deve ser o último movimento dos evangélicos contra a novela.

[b]Boicote[/b]

Logo na primeira semana, a programação gerou revolta de muitos – cristãos ou não – com propostas de boicote que ganharam as mídias sociais e até mesmo uma nota oficial de repúdio por parte da bancada evangélica na Câmara Federal.

Fatores como a exibição de um beijo gay entre as atrizes Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg logo no primeiro capítulo incitou a indignação de muitos e gerou comentários revoltosos nas mídias sociais.

Não apenas pela nova novela das 21h, mas também por outras programações, a rede Globo tem sido apontada como um atentado à família brasileira.

Exemplo disto também é o Big Brother Brasil, que já chega à sua 15ª edição com uma coleção de escândalos e fracassos em seu histórico.

O “reality show” também já veio neste ano de 2015, com novas propostas, justamente por temer a queda na audiência. Porém recentes acontecimentos – como a desistência de uma das participantes – voltaram a colocar o programa em saia justa, mostrando que a “Casa Mais Vigiada do Brasil” já não é mais tão desejada como se imaginava.

[b]Fonte: Veja.com e Guia-me[/b]