O número de parlamentares empresários e ruralistas é maior no Congresso do que o total eleito para o mandato passado. Em contrapartida, o número de parlamentares sindicalistas e evangélicos diminuiu.

Essa é uma das conclusões de estudo realizado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) e do site Congresso em Foco com os 618 parlamentares, deputados e senadores, entre titulares e suplentes, que exerceram mandato de fevereiro a abril de 2007. O trabalho foi publicado no livro O que esperar do novo Congresso – Perfil e agenda da legislatura 2007/2011.

O estudo mostra que depois do escândalo dos sanguessugas a bancada evangélica, que teve muitos deputados acusados de envolvimento no esquema irregular de vendas de ambulâncias, minguou.

Na Câmara, de 532 deputados que exerceram o mandato nos três primeiros meses da atual legislatura, 41 são evangélicos – em 2006 a bancada chegou a 60. No Senado, há dois parlamentares evangélicos.

Outra bancada que perdeu integrantes foi a sindicalista. Houve uma pequena perda de espaço, segundo o estudo. No mandato passado, havia 74 sindicalistas no Legislativo. No Congresso atual, há 63 sindicalistas dos 618 parlamentares pesquisados. São 57 na Câmara e 6 no Senado.

Constituída por empresários rurais, pecuaristas e agricultores e também por políticos que defendem as reivindicações desse setor, a bancada ruralista passou para 120 integrantes nesse mandato. São nove parlamentares a mais do que na legislatura anterior. Dos 618 parlamentares pesquisados, 20% dos deputados e 15% dos senadores integram a bancada ruralista. Essa bancada é uma das mais fortes por causa da grande capacidade de conseguir aprovar propostas de seu interesse, principalmente quando se trata de benefícios de financiamento público ou de renegociações de dívidas.

O estudo do Diap/Congresso em Foco afirma que desde a Legislatura concluída em 1995, o Congresso não tinha uma bancada de empresários tão expressiva. São 219 entre os 618 parlamentares pesquisados. São 190 deputados dos 532 que exerceram mandato de fevereiro a abril desse ano e 29 senadores dos 86 entre titulares e suplentes que exerceram mandato no mesmo período.

A bancada dos apresentadores de rádio e TV e de artistas tem 38 integrantes. No Senado, são apenas três. Na Câmara, 35 são apresentadores de TV, radialistas e artistas. Dois deles já se envolveram em polêmicas nesses primeiros meses. O apresentador de programa de TV Clodovil Hernandes (PTC-SP) é alvo de dois processos disciplinares na Corregedoria da Casa por suas declarações polêmicas. O cantor de forró Edigar Mão Branca (PV-BA) por se recusar a tirar o chapéu de couro quando está no plenário.

O livro mostra ainda que a bancada das mulheres reúne 56 parlamentares – 45 na Câmara e 11 no Senado.

A bancada ambientalista – conhecida por Frente Parlamentar Ambientalista – foi a primeira a ser criada no atual mandato. São 269 congressistas. A Frente de Defesa da Igualdade Racial tem 195 adesões, entre outras bancadas suprapartidárias no Congresso.

Fonte: Estadão