O banco central da Romênia lançou uma moeda especial em homenagem a um primeiro-ministro e líder religioso que retirou a cidadania de judeus antes da Segunda Guerra (1939-45)

A homenagem gerou, nesta segunda-feira, protestos de judeus romenos e do diretor do Museu Memorial do Holocausto nos EUA.

Radu Ioanid, que cuida dos arquivos internacionais do museus, disse estar “chocado” pela decisão do banco de estampar a moeda com o rosto de Miron Cristea, que liderou a Igreja Ortodoxa romena de 1925 a 1939 e foi primeiro-ministro de 1938 a 1939.

O patriarca foi responsável por revisar a lei de cidadania, retirando a cidadania romena de cerca de 225 mil judeus –ou 37% da população judaica, disse Ioanid.

“Não posso entender como o patriarca passou pelo filtro”, disse Robert Schwartz, representante dos judeus romenos na cidade de Cluj. “É sabido que há manchas negras ligadas a sua atitude em relação aos judeus.”

Schwartz disse ainda que á outros romenos, como a contemporânea Rainha Maria, que fizeram muito mais pelos judeus e deveriam ser honrados.

O porta-voz do banco central da Romênia, Mugur Stet, disse que a moeda era parte de uma série de cinco moedas cunhadas a prata para colecionadores, homenageando os cinco patriarcas que chefiaram a Igreja Ortodoxa romena desde 1925.

Cerca de 30 mil judeus e ciganos foram mortos na Romênia durante o Holocausto. Atualmente, o país tem apenas 6.000 judeus.

[b]Fonte: Folha Online[/b]