Os criminosos levaram dinheiro, objetos e 2 carros; padre diz que chegou a declamar salmo para um ladrão.

“Me perdoe, padre, mas preciso disso para viver”. Depois de ouvir o pedido, com uma arma apontada para o corpo, o padre Antonio Maria, 66, rezou um salmo e abraçou um ladrão após ser mantido refém por cerca de duas horas num assalto ao mosteiro Ain Karim, ontem, em Jacareí (84 km de SP), onde vive com seus filhos adotivos e um grupo de freiras.

Além de pedir misericórdia, os seis assaltantes solicitaram que o padre orasse por eles pouco antes de saírem do local, uma chácara, com dois carros da congregação “Filhas de Maria – Servas dos Pequeninos”, cerca de R$ 1.300, filmadoras, máquinas fotográficas, uma batedeira e um purificador de água.

O bando armado e encapuzado invadiu a propriedade por volta das 23h de anteontem. Renderam o caseiro, a mulher e os filhos deles.

Dois filhos adotivos do pároco, que estavam em um imóvel ao lado, também foram rendidos. Depois, seguiram para a residência do padre. Ali, surpreenderam o outro filho do padre, de 15 anos, que assistia à TV num quarto, e, em seguida, o padre, que dormia em outro cômodo.

[b]ORAÇÃO[/b]

“Eles estavam nervosos, mas não agressivos. Comecei a rezar e eles só pediram que eu orasse em voz mais baixa. Depois, pegaram o cadarço do tênis do meu filho e nos amarraram”, contou.

Enquanto um dos criminosos ficou com o padre, os demais desceram até o mosteiro com um filho do padre de 15 anos. A vítima foi obrigada a chamar a freira Rosane Coelho, 39. Assim que ela chegou à porta, foi surpreendida pelos criminosos, um deles com uma espingarda. Ela gritou e abriu a porta.

Os ladrões vasculharam o local. Arrancaram da parede um quadro com a foto da Basílica de Nazaré, achando que atrás havia um cofre, e abriram até as correspondências.

Refém em sua casa, o padre tentou convencer o ladrão a desistir, abraçando-o. “Estou fazendo porque preciso”, respondeu o jovem, abraçado, com uma arma nas mãos.

Ele ajudou o padre a procurar seus óculos. Sem conseguir ler a Bíblia, Maria declamou as primeiras frases do salmo 23 (“O Senhor é meu pastor e nada me faltará”).

Um dos ladrões agrediu com a espingarda um dos filhos do padre, que tem deficiência mental. “Ele se assustou e agarrou a arma.” O bando lotou uma Ranger e um Gol com os objetos e o dinheiro e sumiram. Os carros foram achados ontem. Os ladrões seguiam foragidos.

Maria diz que vai reforçar a segurança na chácara. Ele diz que perdoou os ladrões e rezou por eles numa missa. Mas pede Justiça. “Eles têm que pagar perante a lei”.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]