“Devemos ser testemunhas de Jesus, sobretudo em Jerusalém”, e por esse motivo devem ser evitadas aquelas “brigas que de vez em quando se verificam no Santo Sepulcro e em Belém e que são detalhadamente mostradas pelos jornais, pela TV e por You Tube”: foi o que disse o chanceler do Patriarcado Latino de Jerusalém, Mons.

William Shomali, durante uma liturgia celebrada no âmbito da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que na Terra Santa teve início no dia 23 do corrente e se concluirá no próximo domingo, dia 31.

Diante de cerca de 200 representantes das várias Igrejas de Jerusalém, Mons. Shomali, falando em nome do patriarca Fouad Twal, recordou que existe “um bom critério para avaliar o nosso testemunho. No tempo de Paulo – disse ele – o número dos discípulos crescia em medida considerável, graças à oração e ao bom exemplo. Hoje, na cidade santa, assistimos o oposto. Há sessenta anos o número de cristãos era mais do que o dobro de hoje”.

“Podemos dizer – afirmou o chanceler do patriarcado – que isso se deve à situação política e econômica. Mas isso é verdade somente em parte – ponderou. Se nos amássemos uns aos outros como uma família, os fiéis permaneceriam nesta terra.”

“A situação hoje não é pior do que a situação na qual vivia a primeira Igreja. E, apesar disso, os fiéis de então aumentavam. Não devemos – concluiu – alimentar sentimentos de culpa, mas redescobrir a nossa vocação para comportar-nos como verdadeiros discípulos de Cristo.”

Fonte: Rádio Vaticano