Os televangelistas americanos Benny Hinn (foto) e Paula White negaram nesta terça-feira, qualquer envolvimento romântico que tenha sido divulgado pela imprensa.

A notícia foi divulgada pelo jornal The National Enquirer após fotos dos dois entrando e saindo de um hotel em Roma de mãos dadas.

Eles disseram que o artigo do jornal foi “equivocado” e “mentiroso” e Hinn rejeitou a afirmação de que ele e Paula secretamente ficaram juntos como “absolutamente falso”.

Paula se defende dizendo que os dois estavam na Itália por questões ministeriais e as notícias são mentirosas. “Meu relacionamento com Hinn é genuíno e puro. Nunca deveria ter sido tirada deste contexto”, respondeu.

“Nós nunca estávamos sozinhos, estávamos na companhia constante de nossa equipe e outros associados … Meu relacionamento com o Pastor Benny é genuína e pura e não deve ser tirado de contexto.”

O artigo “falsamente caracterizara a minha amizade com o pastor Benny como sendo algo que é moralmente e espiritualmente inadequado”, acrescentou Paula.

[img align=left width=345]http://bit.ly/ak3Rqa[/img]Segundo a notícia publicada pelo site Christian Today, a amizade se estreitou após a gravação de um programa de Benny Hinn. O televangelista, que se divorciou após 30 anos de matrimônio, disse que Paula tem sido uma fonte de encorajamento após o trauma doloroso de um divórcio público.

Hinn continua: “Eu renuncio as mentiras atribuídas a mim. Não houve nenhuma imoralidade.” O reverendo disse que vai aguardar o encerramento de todo processo de separação.

Hinn disse que ele e White decidiram “não ter mais relação social” até que o divórcio tenha sido finalizado e “e apenas se nós sentimos a direção do Senhor para fazê-lo”.

Em fevereiro de 2010, a esposa de Benni Hinn, Suzanne Hinn, [url=http://www.folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=13034]entrou com pedido de divórcio[/url] citando diferenças irreconciliáveis, após mais de 30 anos casados.

Em 2008, White e Hinn foram dois dos vários televangelistas que foram objeto de uma investigação do Comissão de Finanças do Senado americano. para saber se tinham se beneficiado indevidamente de doações financeiras. Ambos negaram qualquer irregularidade e observado o inquérito.

[b]Fonte: Christian Today e Creio[/b]