O papa Bento XVI confirmou neste sábado, 9 de setembro, que no ano que vem visitará o Brasil e assegurou que, sendo “um homem velho”, sua volta à Alemanha “será um presente” do Senhor. O Pontífice alemão deu estas declarações aos jornalistas que o acompanharam no avião que o levou à Baviera, região alemã onde nasceu.

“Eu já sou um homem velho, não sei quantos anos o Senhor ainda me dará. Sou o papa da Igreja, em breve irei a Istambul, e depois ao Brasil. Se puder voltar à Alemanha, será um presente do Senhor”, disse o Pontífice durante o vôo para Munique.

A declaração, uma resposta a uma pergunta sobre uma possível ida a Berlim no ano que vem, foi interpretada pelos vaticanistas como um sinal de que o Papa não deve ir à capital alemã antes de cumprir outros compromissos da Igreja.

Questionado sobre o enfraquecimento do catolicismo na Alemanha, onde o rebanho de Roma representa 31,6% da população, o papa disse que não há debilidade e que vê evidências disso nestes dias de preparação de sua viagem.

“Todos nós somos uma grande Igreja, todos nós podemos ser a Igreja, ser uma força de paz para a nação e para o mundo”, disse Bento XVI.

O Pontífice destacou que viajava “muito feliz” por voltar ao lugar onde nasceu e cresceu. Antes de tornar-se papa, Ratzinger foi arcebispo e cardeal de Munique.

“Venho com muita alegria à minha casa”, afirmou o Bispo de Roma, que acrescentou que leva a Baviera no coração.

“Nela nasci e nela me criei, e em meu coração levo muitas lembranças. Sempre posso caminhar pela paisagem da memória, o que faz com que não me sinta distante dela”, ressaltou Bento XVI poucos minutos antes de pisar na Baviera.

O papa deve viajar para Istambul no fim de novembro para se reunir com o patriarca ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu II.

A viagem ao Brasil está programada para maio do ano que vem, quando acontece a V Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe.

Fonte: EFE