O papa Bento XVI exortou hoje, ao encerrar a tradicional Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que as confissões cristãs de todo o mundo se unam frente aos “desafios cada vez mais complexos de nosso tempo”, com o compromisso de “superar as misérias, como a fome, a pobreza e o analfabetismo”.

“No caminho para uma comunhão plena, os cristãos são chamados a oferecer um testemunho comum para enfrentar os desafios cada vez mais complexos do nosso tempo”, declarou o Pontífice ao celebrar na tarde de hoje (horário local) a Festa da Conversão de São Paulo Apóstolo, na Basílica de São Paulo Fora dos Muros, em Roma.

Entre os desafios citados pelo Papa estão “a secularização e a indiferença, o relativismo e o hedonismo, as delicadas questões éticas sobre o princípio e o fim da vida, os limites da ciência e da tecnologia, e o diálogo com outras tradições religiosas”.

“Existem ainda campos ulteriores, nos quais devemos dar um testemunho comum: a salvaguarda da criação, a promoção do bem comum e da paz, a defesa da centralidade da pessoa humana, o compromisso para superar as misérias do nosso tempo, como a fome, a pobreza, o analfabetismo e também a distribuição desigual de bens”, continuou.

Por isso, torna-se essencial que os católicos, protestantes e ortodoxos unam forças em uma “nova e intensa atividade de evangelização, não apenas entre os povos que nunca conheceram o Evangelho, mas também entre aqueles em que o Cristianismo se difundiu e faz parte de suas histórias”, enfatizou o Papa.

“Há, infelizmente, questões que nos separam uns dos outros e que esperamos que possam ser superadas por meio da oração e do diálogo”, completou.

Iniciada no último dia 18, a Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos ocorreu este ano sob o lema “Vós sois testemunhas de tudo isto”, tirado do capítulo 24 do Evangelho de Lucas. Participaram da celebracação ecumêmica desta segunda-feira representantes de outras confissões cristãs e de comunidades eclesiais.

Fonte: Ansa