A apresentação de Beyonce na 59ª cerimônia anual dos Grammy, na noite de domingo (12), recebeu comentários favoráveis ??na mídia porque ela mostrou corajosamente a sua barriga de gestante enquanto estava no palco. Mas a gravidez não era a única mensagem de Beyoncé naquela noite. A performance da estrela pop também serviu como uma ode (canto para homenagear) à deusa africana Oshun.

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×500/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/02/14/3946757833-beyonce-orixa.jpg[/img]Beyoncé subiu ao palco do ‘Grammy 2017’, no dia 12 de fevereiro, grávida de gêmeos, para realizar uma compilação de suas canções: “Love Drought” e “Sandcastles”, do seu álbum mais recente “Lemonade”.

A performance começou com projeções misteriosas de Beyoncé e seus dançarinos na tela, a cantora enfeitada em um revelador conjunto amarelo, que estava em exibição, enquanto uma narração de sua peça ao fundo recitava poesia de Warsan Shire – conhecida poetisa nascida na Somália.

O show de mulheres encantadas também contou com a mãe de Beyoncé, Tina Lawson, e sua filha de 5 anos, Blue Ivy, enquanto a tela se desvanecia entre fotos ao vivo de Beyoncé no palco e as projeções pré-gravadas. Todas as três gerações foram adornadas em amarelo.

Para as pessoas familiarizadas com os iorubás – uma religião ancestral das religiões, como Santeria, Brujería (bruxaria em espanhol), Orisha e Vudú, a apresentação ritualística e as roupas moda da Beyoncé se assemelhavam à deusa Oxum, que é um orixá, uma divindade do rio e de água doce.

A deusa é conhecida por “sua conexão com o destino e a adivinhação como meio de promover o luxo, o prazer, a sexualidade e a fertilidade, a beleza e o amor”. Sua fama como deus da maternidade acabou sendo o destaque nesta apresentação.

Durante seu desempenho, Beyonce caminhou através de um mar de dançarinos que se curvam diante dela, enquanto ela se senta em uma cadeira que se inclina para trás, até que se posiciona perfeitamente paralela ao palco. Mais tarde, seus dançarinos mais uma vez esticam suas mãos para ela, enquanto ela está sobre eles.

[b]Referências[/b]

O jornal ‘Washington Post’ disse que Beyonce tem canalizado esta deusa em todos os seus trabalhos recentes, incluindo suas novas fotos de maternidade. O veículo de notícias chamou a apresentação da cantora de “referências artísticas às deusas africanas, hindus e romanas, que representam a feminilidade”.

De acordo com a emissora ‘PBS’, Beyoncé, de 35 anos, apareceu pela primeira vez, fazendo referência a Oxum, no vídeo “Hold Up”, de seu segundo single do disco “Lemonade”. Semelhante à sua apresentação do Grammy, ela também estava vestida de amarelo, mas no vídeo da música ela emerge de trás de duas grandes portas entre ondas de água.

A Dra. Amy Yeboah, professora associada de estudos da Universidade Africana Howard, disse à PBS que o vídeo “Hold Up” leva as pessoas a “se aprofundarem na espiritualidade africana”.

“Vemos isso no primeiro de dois batismos e seu surgimento como orixá”, acrescentou a professora comentando imagens do vídeo.

[b]Histórico[/b]

[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/smart/media.guiame.com.br/archives/2017/02/14/1257742847-.jpg[/img]Oxum é uma divindade que caminha sobre as águas do bosque sagrado de ‘Osun’, na Nigéria, uma floresta densa nos arredores da cidade de Osogbo. Os adoradores desta deusa visitam regularmente a floresta com oferendas e orações.

Uma ‘sacerdotisa’ devota à deusa explicou como são feitas os rituais e como os adoradores se portam diante da divindade.

“Quando você vem aqui e diz a Oxum: ‘Estou procurando um bebê’, você recebe um bebê; ‘Estou à procura de um marido’, você recebe um marido’; ‘Estou à procura de dinheiro’, você ganha o dinheiro”, contou a sacerdotisa, Osafunke Iworo Oshun à CNN em 2016. “Qualquer coisa que alguém pedir, Oxum sempre dará à pessoa porque é importante para a sociedade”.

[b]Contextualização[/b]

O que antes poderia parecer um tabu ou algo mais enigmático nas carreiras de alguns artistas parece estar cada vez mais evidente.

No caso de Beyoncé suas referências à deusa Oxum se tornam motivo de “orgulho e alegria” em seu novo trabalho e divulgam uma mensagem completamente ligada à divindade.

Desavisados, até mesmo cristãos acabam assistindo às novas apresentações da cantora e aplaudindo suas performances. É preciso estar de olhos bem abertos.

[b]Fonte: Guia-me[/b]