As autoridades de Hong Kong receberam 208 pedidos para que a Bíblia seja classificada como “publicação indecente”, após uma campanha na internet contra o livro sagrado, informou hoje o jornal “South China Morning Post”.

O site “www.truthbible.net” diz que a Bíblia está cheia de histórias e referências ao incesto, violação, canibalismo e violência, e, portanto, não é apto para menores de 18 anos.

Em conseqüência, o órgão responsável pelo setor de Entretenimento e Televisão vem recebendo solicitações da população para reclassificar o livro.

Se os protestos forem atendidos, as cópias da Bíblia teriam que ser vendidas com um aviso, envelopadas e lacradas, já que seu texto seria considerado apto exclusivamente para maiores de 18 anos.

Fonte: EFE